Fundações poderão terceirizar riscos

Edição 269

O Conselho Nacional de Previdência Complementar (CNPC) aprovou a possibilidade dos fundos de pensão compartilhar riscos de longevidade com seguradoras. Apesar do avanço, as seguradoras ainda não podem oferecer os produtos aos fundos de pensão. De acordo com Nelson Emiliano, superintendente técnico da Mongeral Aegon, para colocarem seus produtos no mercado, a Superintendência de Seguros Privados (Susep) deve aprovar outra resolução no âmbito da autarquia.
“Hoje só existe uma resolução da Susep que permite a contratação de benefícios de morte e invalidez”, explica Emiliano. O executivo explica que a resolução do CNPC estabelece que o pagamento dos serviços da seguradora não podem ser feitos diretamente ao assistido, e sim ao fundo de pensão. “Preciso de uma norma que permita esse relacionamento com fundos de pensão para esses serviços”.