Certificação de conselheiros mais flexível

Edição 272

O Conselho Nacional de Previdência Complementar (CNPC) aprovou a alteração nas regras que determinam a certificação de membros dos conselhos dos fundos de pensão. Ficou decidido que para entidades patrocinadas por empresas privadas, a certificação será obrigatória para a maioria, mas não para 100% do conselho, conforme pleiteado pela Abrapp. Já as entidades de estatais continuarão com a exigência da totalidade dos membros certificados. “Certificar 100% dos membros dos conselhos seria complicado, no momento em que alguns conselheiros moram no exterior, principalmente os de multinacionais. Seria desproporcional exigir esse rigor”, disse o secretário de políticas de previdência complementar, Jaime Mariz.