Mainnav

Vale ganha processo em Londres e receberá US$ 1,2 bi por projeto na Guiné

Um tribunal arbitral em Londres decidiu, na sexta-feira, dia 5, favoravelmente à Vale e condenou a BSG Resources Limited a pagar à mineradora US$ 1,246 bilhão, acrescido de juros e despesas, por fraude e violações de garantia referentes à joint venture criada para exploração de minério de ferro na região de Simandou, na República da Guiné.
Em comunicado ao mercado, a Vale informa que "pretende tomar todas as medidas legalmente cabíveis para execução dessa decisão arbitral. Entretanto, não há quaisquer garantias quanto ao prazo e ao val

Aditivo contratual entre CNPE e Petrobras viabiliza leilão de blocos do pré-sal, em outubro

O Conselho Nacional de Política Energética (CNPE) anunciou, ontem, a aprovação da minuta do termo aditivo no Contrato de Cessão Onerosa com a Petrobras, pela qual a companhia receberá US$ 9,058 bilhões em caráter de ressarcimento. Com o acordo, a realização do leilão de concessão para exploração em blocos de petróleo do pré-sal, marcado para o dia 28 outubro, estaria garantida, segundo comunicado do conselho.
A validação do aditivo, no entanto, e o pagamento do valor recisório estão condicionados ao "cumprimento dos requisitos orçamentá

Bancos brasileiros perdem posições em raking dos 100 maiores da S&P

Os quatro grandes bancos nacionais perderam várias posições no ranking global dos 100 maiores, elaborado e divulgado hoje pela S&P Global Market Intelligence. O Itaú Unibanco continua na frente dos demais brasileiros, mas perdeu quatro posições no geral, passando de 65o. lugar para 69o., com US$ 401 bilhões em ativos. O Banco do Brasil seguiu o mesmo movimento e despencou 10 posições, de 67o. para 77o. lugar, com US$ 360 bilhões.
A novidade do ranking deste ano é que o Bradesco ficou à frente da Caixa, mas ambos também recuaram na list

BRF perde grau da investimento atribuído pela Fitch

A agência de classificação de risco Fitch Ratings rebaixou a nota de crédito em escala global da BRF, de 'BBB-' para 'BB'. Com a ação, a companhia perdeu o grau de investimento. O rating em escala nacional também foi reduzido, de 'AAA(bra)' para 'AA+(bra)'. A perspectiva dos ratings é estável.
Em relatório, a Fitch justifica o rebaixamento pelo fraco desempenho operacional da BRF, um ritmo de desalavancagem mais lento do que o esperado e a baixa geração de fluxo de caixa, "consequência do fechamento do mercado de carne suína da Rússia e

Lucro da Caixa cresce 40,4% em 2018 e soma R$ 12,7 bilhões

A Caixa registrou lucro recorrente, que desconsidera efeitos extraordinários, de R$ 12,7 bilhões em 2018, um crescimento de 40,4% em relação a 2017. O valor é recorde no desempenho da instituição.

Segundo comunicado do banco, o resultado é consequência das medidas adotadas ao longo do ano passado, como a melhoria da eficiência operacional e o aumento de receitas, especialmente de intermediação financeira e prestação de serviços.
O saldo da carteira de crédito habitacional cresceu 3%, no ano passado, totalizando R$ 444,7 bilhões.

Petrobras contrata linha de crédito compromissada de US$ 3,25 bilhões

A Petrobras informou, em comunicado ao mercado, que assinou ontem uma linha de crédito compromissada (Revolving Credit Facility- RCF) no valor de US$ 3,25 bilhões, com vencimento em março de 2024, podendo ser prorrogado em até dois anos. O contrato, assinado com 18 bancos, permite à companhia efetuar saques da linha até o mês anterior ao vencimento.
O contrato também prevê a possibilidade do saque de até US$ 1 bilhão para prestação de contragarantia, com foco em fianças judiciais, em garantias bancárias no Brasil.
De acordo com a c

S&P atribui grau de investimento ao conglomerado Votorantim

A agência de classificação de risco Standard&Poor's atribuiu grau de investimento à Votorantim S.A., elevando o rating em escala global de 'BB+' para 'BBB-'. A perspectiva é estável. No mesmo sentido, a Votoratim Cimentos, considerada a principal subsidiária do grupo, recebeu a mesma nota de crédito.
Segundo comunicado da S&P, o grau de investimento foi atribuído levando em conta a redução contínua do nível de endividamento, melhoria na estrutura de capital e forte geração de caixa. A perspectiva estável dos ratings reflete o entendime

Ratings de Natura e Avon entram em observação com possível transação

A agência de classificação de risco Standard & Poor´s (S&P) está reavaliando as notas de crédito da Natura e da Avon em função da possibilidade de aquisição da norte-americana pela brasileira. Os ratings 'BB', em escala global, e 'brAAA', em escala nacional, da Natura foram colocados em observação com implicações negativas. Já a nota 'B' da Avon entrou em observação positiva.
Em relatório, a S&P justifica que as ações foram adotadas considerando o perfil de crédito da Natura após a transação e a posição da Avon no grupo. O resultado da

Petrobras recompra US$ 2,3 bi em títulos, aponta resultado parcial

A Petrobras aceitou a oferta apresentada até ontem para a recompra de títulos equivalentes a US$ 2,276 bilhões, sendo US$ 1,859 bilhão e € 368,6 milhões, segundo resultado parcial divulgado pela companhia. A oferta de recompra Waterfall termina em 8 de abril, respeitando o limite de US$ 3,006 bilhões.
Segundo comunicado, o pagamento aos investidores que tiveram os seus títulos entregues e aceitos ontem ocorrerá nesta quarta-feira, dia 27, no valor equivalente de US$ 2,434 bilhões, considerando-se a taxa de câmbio de 1,1316 US$/€, acresc

S&P retira ratings da Vale de observação negativa mas incerteza ainda é grande

A agência de classificação de risco Standard & Poor´s (S&P) retirou as notas de crédito da Vale da observação negativa, mantendo o rating de emissor em escala global em BBB-. O status tinha sido atribuído após o desastre de Brumadinho. Por outro lado, na mesma ação, o rating do perfil de crédito individual (SACP) foi rebaixado de "bbb" para "bbb-".
A perspectiva dos rantings se mantém negativa refletindo, ainda, as incertezas sobre o montante das multas e litígios que a Vale poderá arcar com Brumadinho e seu impacto nas métricas financ