Mainnav

Fundos exclusivos e exterior s√£o destaques

Edição 335

Com R$ 5,12 trilh√Ķes sob gest√£o nessa 47¬™ edi√ß√£o, o ranking Top Asset publicado pela revista Investidor Institucional √© motivo de orgulho para toda nossa equipe que h√° 24 anos se envolve com o trabalho de pesquisa, tabula√ß√£o, reportagem e edi√ß√£o final dos dados, que resultam num levantamento preciso, completo, isento e de f√°cil utiliza√ß√£o pelos leitores. O ranking Top Asset √© publicado duas vezes ao ano, trazendo os dados das gestoras na posi√ß√£o de 30 de junho e 31 de dezembro. Esse que estamos publicamos nesta edi√ß√£o refere-se √† posi√ß√£o das gestoras no fechamento de 2020.
A marca de R$ 5,12 trilh√Ķes sob gest√£o representa um crescimento significativo de 8,18% no per√≠odo de 6 meses e de 7,84% no per√≠odo de 12 meses. Trata-se de crescimento real, uma vez que os dados s√£o dessazonalizados, isto √©, excluem-se do comparativo gestoras que tenham participado de um levantamento e n√£o do outro. Entram no comparativo apenas aquelas com presen√ßa nos dois per√≠odos comparados.
Duas coisas saltam aos olhos nessa 47¬™ edi√ß√£o do Top Asset. A primeira √© a clara predile√ß√£o dos investidores, e claramente nesse caso estamos falando dos grandes investidores, por fundos exclusivos. O uso desse ve√≠culo de investimento cresceu 6,53% em 6 meses e 11,10% em 12 meses. O outro ponto que chama a aten√ß√£o √© o crescimento da aloca√ß√£o em a√ß√Ķes e recibos de a√ß√Ķes no exterior (ADRs), que cresceu 34,55% em 6 meses e 205,31% em 12 meses, demonstrando a velocidade com que investidores alocam no mercado externo
Mas nem só de Top Asset é feita esta edição. Na reportagem da página 56 o presidente da Vivest, Walter Mendes, nos conta que apesar da autorização dada pelo Conselho Nacional de Previdência Complementar para a troca dos indexadores dos planos de benefícios das entidades, a Vivest só conseguiu até agora trocar o indexador de dois planos, um da patrocinadora Emae e outro dos funcionários da própria fundação, restando sete que provavelmente só serão trocados, se a proposta for aprovada em seus comitês gestores, no ano que vem. Isso porque a regra estabelece um prazo de seis meses entre a aprovação da mudança no comitê gestor e o encaminhamento à Previc. Na nossa opinião, esse prazo é longo demais.