Mainnav

Prever rumo dos juros foi fundamental

Edição 344

Esta edição de Investidor Institucional traz o ranking Melhores Fundos de Institucionais, publicado há 25 anos por Investidor Institucional e que analisa neste número 929 fundos de investimentos, de 144 gestores, nos períodos de 12, 24 e 36 meses. A análise foi feita pela empresa ComDinheiro, com base em critério que publicamos na página 18.
Dos 929 fundos analisados, 309 foram classificados como Excelentes, 308 como adequados e 312 como insuficientes. A análise contempla apenas fundos que possuam pelo menos um cotista direto institucional, seja ele fundos de pensão ou RPPS, na data base de 31/12/2021.
“O diferencial da gestão no ano esteve na capacidade de perceber os efeitos do processo inflacionário e, em seguida, notar que essas pressões seriam mais persistentes, assim como seus impactos sobre toda a economia”, afirma o diretor da Bradesco Asset Management (Bram), Luiz Philipe Biolchini. A casa foi a que emplacou o maior número de fundos excelentes neste ranking, 43 na posição de 12 meses, 41 em 24 meses e 37 em 36 meses.
O ano, como não poderia deixar de ser, foi muito bom para os fundos de renda fixa em geral, devido ao constante aumento das taxas de juros desde março de 2021, o que impulsionou investidores a resgatarem aplicações de mais risco para aplicarem em crédito ou NTNBs. “Foi um ano especial para a renda fixa, tanto do ponto de vista da nossa performance quanto da indústria como um todo, pelo efeito da mudança no patamar do juro que direcionou muitos recursos de volta para esses fundos”, diz o head de gestão de crédito privado e de soluções institucionais globais da Itaú Asset, Pedro Gabriel Boainain. A gestora é a terceira com o maior número de fundos excelentes neste ranking, com 24 em 12 meses, 26 em 24 meses e 24 em 36 meses.
Claro que num ano volátil como foi 2021, os gestores de fundos multimercados, que podem transitar de um tipo de ativo para outro com agilidade, foram beneficiados. Mas apenas aqueles que tiveram visões estratégicas e agilidade. “Já no final de 2020 estávamos preocupados com a inflação e nos posicionamos para a realidade de um mundo que iria sair do juro zero para se adequar ao processo inflacionário”, diz o diretor executivo da Gávea Investimentos, Bernardo Carvalho. A gestora aparece neste ranking com 3 fundos excelentes em cada janela, de 12, 24 e 36 meses.