Mainnav

Por um regime próprio de previdência sustentável Fabiano Silva dos Santos

Edição 157

A questão previdenciária no Brasil apenas recentemente se tornou objeto de estudos e alterações legais. Ao longo dos anos constatou-se um imenso desequilíbrio nas contas previdenciárias, decorrente do descompasso entre o caráter contributivo e o custo dos benefícios previdenciários a serem garantidos.
Por outro lado, os gestores previdenciários, historicamente, sempre privilegiaram adequações pontuais e imediatistas em detrimento de uma reforma previdenciária que visasse à construção de bases sólidas

Está velho o conceito de envelhecimento Luciano Snel

Edição 156

É incoerente que uma das maiores conquistas da sociedade moderna durante o século 20 – o aumento da expectativa de vida em quase todos os países – seja percebida como um dos “problemas” fundamentais a resolver, tanto do ponto de vista econômico quanto social. O avanço na idade das populações é tratado de forma antipática ou negativa. O fato de cada vez mais cidadãos estarem cientes das complexas questões que afetam nosso antiquado sistema de seguridade social e a nossa sociedade deve ser bem-vindo. No enta

Insustentável punição ao capital próprio Alfried Plöger

Edição 155

Incentivo ao endividamento e não ao reinvestimento de lucros, capital pro- dutivo penalizado por tributação, empresa nacional em desvantagem em relação às estrangeiras, risco de empresas brasileiras transferirem holdings para o exterior, de maneira a escapar da injustiça tributária, desorganização da estrutura societária, demandas judiciais: estas são algumas das conseqüências inevitáveis da hipercumulatividade de tributos criados pelo Decreto 5.164, de julho de 2004.
Este decreto jogou uma pá de cal