Mainnav

Nova fase para a previdência complementar no Brasil Gilberto B. de Souza

Edição 153

Apublicação da Resolução nº 13, pelo Conselho de Gestão da Previdência Complementar (CGPC), favorece a melhoria das práticas gerenciais no mercado previdenciário e abre caminho para acelerar o seu crescimento no País
O setor de previdência complementar no Brasil vem experimentando nos últimos anos um importante processo de modernização e profissionalização na sua forma de gestão. O aumento da eficiência na fiscalização, exercida pela Secretaria da Previdência Complementar (SPC), vem pro

As Parcerias Público-Privadas e os fundos de pensão Mario Serpa

Edição 152

Os investimentos, cruciais para o desenvolvimento do País, são iguais ao nível geral de poupança, composto de três segmentos: a poupança do governo, a poupança externa e a poupança interna. No Brasil, com o primeiro segmento não se pode contar, por razões óbvias. Os outros dois segmentos dependem significativamente dos marcos regulatórios, da estabilidade político-econômica e da taxa de juros.
Do lado das grandes poupanças e dos investidores institucionais, cuja participação mais imediata poderia viab

A indústria de fundos mútuos e o mercado de ações Sérgio Luiz de Cerqueira Silva

Edição 151

O sistema financeiro brasileiro sempre conseguiu acompanhar as principais tendências do setor no resto do mundo. Na área de automação bancária, por exemplo, nunca esteve atrás dos países desenvolvidos.
No período de inflação crônica, entre o final dos anos 70 e 1994, o sistema bancário conseguiu desenvolver produtos que evitaram a total destruição do padrão monetário e a substituição da moeda nacional pelo dólar. Ainda que imperfeita, a indexação impediu que a economia se dolarizasse. É claro que isto