Mainnav

Seleção e Avaliação de Gestores e EFPCs Sérgio Augusto Malacrida Junior

Edição 108

As Resolu√ß√Ķes 2829/2850 do CMN tornaram os fundos exclusivos os ve√≠culos de investimentos mais adequados √†s Entidades Privadas de Previd√™ncia Complementar (EFPCs), se deixarmos de lado aspectos fiscais, j√° que h√° diferen√ßas substanciais no pagamento do Imposto de Renda em fundos e nas carteiras pr√≥prias, al√©m da incid√™ncia da CPMF que, dependendo de como for a estrutura dos ve√≠culos de investimento adotada pela EFPC, pode causar impactos distintos sobre os rendimentos das carteiras da EFPC. A adequa√ß√£o des

20 anos de reforma da previdência no Chile Vinícius Carvalho Pinheiro

Edição 107

Nos √ļltimos 20 anos a experi√™ncia de reforma previdenci√°ria chilena, com a substitui√ß√£o do sistema p√ļblico de reparti√ß√£o pelo sistema privado e obrigat√≥rio de capitaliza√ß√£o individual, tem se constitu√≠do em fonte de inspira√ß√£o para modifica√ß√Ķes em outros pa√≠ses, tornando-se refer√™ncia no debate internacional sobre o futuro da previd√™ncia.
Conforme dados da Social Security Administration (SSA) dos EUA, dos 128 países que oferecem proteção previdenciária no mundo conhecido estatisticamente, somente 12

Agregando o risco de carteiras de investimentos César Aragão e Márcio Barros

Edição 106

Visando acompanhar a evolu√ß√£o da pesquisa e pr√°tica dos modelos e sistemas de gest√£o de risco, surgiu no mercado o modelo dos alfas, uma extens√£o do modelo de risco desenvolvida com o objetivo de agregar o risco de um investidor que possua aplica√ß√Ķes em diversos ativos ou carteiras. O modelo de risco permite a an√°lise da exposi√ß√£o consolidada por fator de risco, o c√°lculo de VaR (Value at Risk), a an√°lise por grupos de risco ou carteiras de investimentos, a avalia√ß√£o de cen√°rios de Stress Testing, a realiz

Seguro para dirigente de fundo de pens√£o Adacir Reis

Edição 105

A nova legisla√ß√£o dos fundos de pens√£o (Lei Complementar 109, art. 65) estabelece as seguintes san√ß√Ķes administrativas para os dirigentes: advert√™ncia, suspens√£o tempor√°ria, inabilita√ß√£o e multa. De acordo com a lei, ‚Äúa multa ser√° imputada ao agente respons√°vel, respondendo solidariamente a entidade de previd√™ncia complementar‚ÄĚ. Se a entidade pagar a multa, cabe a√ß√£o regressiva contra o dirigente.
Sob a égide da Lei 6.435/77, a multa não passava de seis mil e quinhentos reais. Pela nova legislação, po

A trajetória positiva da previdência aberta Eduardo Bom Angelo

Edição 104

As mat√©rias mais recentes sobre previd√™ncia privada aberta t√™m abordado freq√ľentemente o crescimento deste mercado nos √ļltimos sete anos. Nesta breve an√°lise procuramos identificar as principais raz√Ķes deste comportamento atrav√©s de alguns indicadores chave e apontamos algumas tend√™ncias para os pr√≥ximos anos.
Ap√≥s o Plano Real e a conseq√ľente estabiliza√ß√£o da economia, criando um ambiente de pre√ßos est√°veis e alongando o horizonte de investimentos, o mercado de previd√™ncia privada encontrou condi√ß√Ķe

A nova legisla√ß√£o das funda√ß√Ķes lembra o Erisa Nancy Newman

Edição 103

Nenhuma outra parte do mundo est√° sofrendo tantas reformas previdenci√°rias como a Am√©rica Latina. Movidas por fatores como o aumento da idade populacional e a inadequa√ß√£o dos sistemas j√° existentes, reformas complexas, como a que se verificou recentemente no Brasil, s√£o marcos hist√≥ricos rumo √† ado√ß√£o de padr√Ķes globais nos mercados financeiros. Embora alguns sistemas sejam freq√ľentemente considerados modelos mundiais, as na√ß√Ķes n√£o os comparam entre si quando come√ßam suas reformas e tendem a inovar seus p