Mainnav

Ambiental não é modismo Opinião: Adacir Reis

Adacir Reis é advogado, presidente do Instituto San Tiago Dantas de Direito e Economia
Adacir Reis é advogado, presidente do Instituto San Tiago Dantas de Direito e Economia

H√° quase vinte anos, por ocasi√£o de esc√Ęndalos corporativos nos Estados Unidos e dos debates que culminaram na cria√ß√£o da legisla√ß√£o Sarbanes-Oxley, ainda era poss√≠vel se ouvir em algumas rodas de conversa que o tema da governan√ßa corporativa n√£o passava de um modismo. Hoje ningu√©m mais duvida de que uma boa governan√ßa √© vital para o sucesso de qualquer empreendimento empresarial.
Com o passar do tempo também ficou claro que sem o respeito aos diversos stakeholders, sem um firme compromisso social, a começar pelos empregados e pelos con

O futuro n√£o ser√° como era Opini√£o: Mauricio da Rocha Wanderley

Mauricio da Rocha Wanderley é diretor de investimentos da Valia
Mauricio da Rocha Wanderley é diretor de investimentos da Valia

A ideia aqui √© realizar uma reflex√£o dos desafios da aloca√ß√£o dos fundos de pens√£o diante do cen√°rio econ√īmico p√≥s-pandemia. Convido o leitor a se afastar da percep√ß√£o de risco que ela nos trouxe. Neste cen√°rio mais adverso temos a propens√£o a um apetite a risco menor, o que vai de encontro √† necessidade de diversifica√ß√£o dos planos para o longo prazo.
√Č uma reflex√£o dif√≠cil, reconhe√ßo. Se voc√™ √© um c√©tico, que acredita que estamos em mais um ciclo insustent√°vel de queda de juros reais e que ser√° capaz de comprar aquela NTN-B maravilhos

Incerteza e desafios para 2021 Opini√£o: Tatiana Pinheiro

Tatiana Pinheiro é economista-chefe da BNP Paribas Asset Management
Tatiana Pinheiro é economista-chefe da BNP Paribas Asset Management

Este ano foi um ano dif√≠cil! H√° quantos anos temos dito esta frase? A verdade √© que cada ano traz consigo seus desafios. Neste sentido, 2020 foi um ano dific√≠limo, atingido por uma crise sem precedentes na hist√≥ria e que levou a rea√ß√Ķes sem precedentes tamb√©m, vide o distanciamento social adotado por grande parte da popula√ß√£o mundial e a amplia√ß√£o dos programas de prote√ß√£o √†s fam√≠lias e empresas via est√≠mulos fiscais e monet√°rios.
Entre final de abril e início de maio, União Européia e EUA, que representam cerca de 50% do PIB mundial,

Private equity e economia real Opini√£o: Alberto Cam√Ķes

Alberto Cam√Ķes √© s√≥cio-diretor do Grupo Stratus
Alberto Cam√Ķes √© s√≥cio-diretor do Grupo Stratus

Mesmo antes da pandemia, investidores institucionais e family offices no Brasil já estavam com o desafio de investir em um ambiente de juros baixos. No início de 2020, os investidores brasileiros, depois de muitos anos com retornos de renda fixa altos quando comparáveis aos níveis internacionais, estavam começando um movimento de migração de renda fixa para outras categorias. A partir de março, se viram altamente impactados pelos efeitos da pandemia em ativos líquidos: queda de bolsa, incremento da percepção de risco de ativos de dívida priv

Introdução ESG na Prática Opinião: Francisca Brasileiro

Francisca Brasileiro é diretora da Tag Investimentos
Francisca Brasileiro é diretora da Tag Investimentos

O ano de 2020 certamente deixar√° legados, muitos deles n√£o positivos. Mas tamb√©m ser√° conhecido como o ano em que as quest√Ķes ligadas √† ESG, ou ASG (Ambiental, Social e Governan√ßa) viraram o tema central nas discuss√Ķes de investimentos, aqui e no mundo!
Podemos atribuir o gatilho √† carta que o presidente da BlackRock enviou aos CEOs das companhias investidas, ou ent√£o ao foco dado ao tema no F√≥rum Econ√īmico Mundial, mas a verdade √© que o interesse nesse assunto vem crescendo a cada ano.
Mas, n√£o podemos negar, que a Pandemia acele

Produtividade é o nome do jogo Opinião: Solange Srour

Solange Srour é Economista-chefe da Arx Investimentos
Solange Srour é Economista-chefe da Arx Investimentos

Após o relaxamento das medidas de isolamento social e o religamento de várias economias, assistimos a uma onda de otimismo em relação ao ritmo de recuperação da atividade no mundo. Dados recentes mostram que com a volta da mobilidade nos mais diversos países, o consumo foi retomado com força, assim como a confiança dos empresários.
O argumento de que o colapso econ√īmico √© em grande parte devido ao v√≠rus ganhou for√ßa. Sendo assim, na aus√™ncia de uma segunda onda muito grave, o consenso √© de que as economias voltar√£o a operar no mesmo rit

Atuar mais nas empresas investidas Opini√£o: F√°bio Coelho

Fábio Coelho é Presidente da Amec e ex-superintendente da Previc
Fábio Coelho é Presidente da Amec e ex-superintendente da Previc

Em meio √† pandemia do coronav√≠rus e √† incerteza derivada, √© f√°cil relegar quest√Ķes primordiais das quais depende a higidez do mercado, como a excel√™ncia da gest√£o, a cria√ß√£o de valor a longo prazo e quest√Ķes ambientais, sociais e de governan√ßa. No entanto, momentos como o atual favorecem iniciativas que alteram o status quo.
Foi assim que, na crise de 2008, nasceram conceito e códigos de stewardship, cujo propósito foi prevenir eventos ruinosos para a economia real mediante o engajamento em bases constantes e de maneira construtiva entr

Repensando a alocação em tempos de crise Opinião: Jorge Simino

Jorge Simino é diretor de investimentos da Fundação Cesp - Funcesp
Jorge Simino é diretor de investimentos da Fundação Cesp - Funcesp

Obviedade inicial: o mundo e o Brasil enfrentam, desde janeiro deste ano, uma crise sanit√°ria e econ√īmica. O Brasil em adi√ß√£o tamb√©m apresenta sinais de turbul√™ncia pol√≠tica.
Algumas breves palavras sobre esta √ļltima. Constata√ß√£o tamb√©m √≥bvia √© a exist√™ncia de muito ru√≠do na condu√ß√£o pol√≠tica. Como os ru√≠dos afetam os pre√ßos dos ativos financeiros depende basicamente da sensibilidade auditiva e da lateralidade de cada agente econ√īmico. Independentemente da escolha de cada qual, uma coisa √© certa: ru√≠dos n√£o ajudam; ru√≠dos atrapalham.

A reeducação do mercado Opinião: Carolina da Costa e Luiz Fernando Figueiredo

Carolina da Costa é sócia da Mauá Capital e professora do Insper
Carolina da Costa é sócia da Mauá Capital e professora do Insper

Na Teoria Econ√īmica, h√° uma m√°xima que dita que o comportamento dos agentes econ√īmicos √© fun√ß√£o dos incentivos oferecidos. S√£o, portanto, rea√ß√Ķes. No √Ęmbito do mercado financeiro, sele√ß√£o e aloca√ß√£o de ativos s√£o perfeitas express√Ķes da l√≥gica reativa. Mercado √© consequ√™ncia. Causa ‚Äúmercado‚ÄĚ a pol√≠tica econ√īmica, que prop√Ķe incentivos (nem sempre produzindo o que intencionou), novos fatores de produ√ß√£o, assim como mudan√ßas profundas em h√°bitos e valores morais dos agentes econ√īmicos. Se pretendemos inovar estruturalmente naquilo que fazemos,

Perfis de investimento em tempos de crise Opini√£o: Ricardo Pena

Ricardo Pena é presidente da Funpresp
Ricardo Pena é presidente da Funpresp

A pandemia da Covid-19 pegou o mundo de surpresa e tem causado estragos incomensur√°veis. Nessa crise de sa√ļde p√ļblica, a preserva√ß√£o da vida humana √© o ponto de partida para qualquer a√ß√£o e preocupa√ß√£o elementar esperada daqueles que t√™m a responsabilidade para decidir. A crise √© um momento de reflex√£o e de humildade. Todos teremos que lidar com as consequ√™ncias das decis√Ķes tomadas. A primeira e mais importante decorrer√° da resposta √† pergunta: ‚ÄúFomos solid√°rios e respons√°veis?‚ÄĚ. Gestores do patrim√īnio financeiro de milhares de pessoas, com