Mainnav

Debate eleitoral define rumos do País em 2022
Eduardo Jarra

Edição 336

Nos pr√≥ximos meses a pandemia do Covid -19 infelizmente continuar√° sendo assunto central em nossas vidas. Ao que tudo indica, por√©m, √© quest√£o de tempo para que felizmente cheguemos a uma importante vit√≥ria com o avan√ßo da vacina√ß√£o e o retorno √†s nossas rotinas anteriores. Isso trar√° vis√≠veis ganhos econ√īmicos e de bem-estar social. Certamente √© um motivo para celebrarmos, mas n√£o podemos perder de vista os desafios relevantes do Pa√≠s que, se n√£o endere√ßados, nos impedir√£o de atingirmos e sustentarmos o progresso social e econ√īmico que todos almejam.
√Č nesse contexto que teremos a campanha presidencial de 2022, quando ocorrer√° a fundamental discuss√£o sobre prioridades para o per√≠odo de 2023 a 2026, com as diferentes demandas da sociedade debatidas com e entre especialistas e pol√≠ticos. Um debate transparente e de alto n√≠vel √© chave para que a sociedade entenda e apoie os caminhos escolhidos. Sem isso, h√° o risco de baixo apoio social e pol√≠tico para a ado√ß√£o das medidas muitas vezes impopulares de curto prazo, mas fundamentais para avan√ßos concretos no m√©dio e longo prazo. Da √≥tica econ√īmica, √© a oportunidade de se discutir diferentes estrat√©gias, buscando uma economia com crescimento sustent√°vel e inclusivo, resiliente a choques de diferentes naturezas e menos sens√≠vel a mudan√ßas na conjuntura internacional.
√Č evidente que a crise do Covid-19 amplificou as nossas j√° conhecidas dificuldades. Primeiro, o necess√°rio desembolso de recursos para combater os efeitos da pandemia aumentou o desafio de consolida√ß√£o das contas p√ļblicas. Ser√£o anos com escolhas dif√≠ceis de gasto p√ļblico num pa√≠s com enormes demandas sociais, al√©m da necessidade de implementa√ß√£o de reformas que afetar√£o determinados segmentos. Segundo, nosso potencial de crescimento √© baixo, levando-se em considera√ß√£o taxa de investimento, produtividade, al√©m de uma demografia menos favor√°vel nos pr√≥ximos anos. A isso, a pandemia trouxe outras dificuldades, como uma situa√ß√£o financeira mais fr√°gil de muitas empresas, especialmente pequenas e m√©dias. N√£o existem solu√ß√Ķes de curto prazo, sendo necess√°rio um longo percurso a ser trilhado com perseveran√ßa.
Os diversos avan√ßos at√© aqui conquistados, com os exemplos recentes do Teto de Gastos e da Reforma da Previd√™ncia, foram parte de um longo percurso, n√£o se esgotando em si. Foram pe√ßas fundamentais por tr√°s da nossa resili√™ncia na crise e da possibilidade de resposta antic√≠clica. Isso al√©m de ampararem o cen√°rio construtivo de consenso que, de acordo com o Boletim Focus do Banco Central, projeta juros reais baixos (por volta de 3%), infla√ß√£o na meta (3,25%), crescimento potencial de 2,5% e gradual melhora das contas p√ļblicas nos pr√≥ximos anos. Mas esse cen√°rio n√£o vir√° pela in√©rcia daquelas conquistas, sendo necess√°ria a continuidade dos avan√ßos estruturais.
Conv√©m lembrar que, al√©m da necessidade de estarmos minimamente preparados para eventuais choques (como foi a pandemia), a conjuntura internacional atual, muito positiva pelo crescimento forte e juros muito baixos, n√£o dever√° perdurar a m√©dio prazo, ainda que seja dif√≠cil antecipar o momento da inflex√£o. N√£o podemos somente torcer por condi√ß√Ķes externas ideais.
Nesse contexto, voltemos √†s elei√ß√Ķes de 2022. A qualidade do debate econ√īmico ser√° uma das m√©tricas antecedentes da nossa chance de sucesso nessa jornada. Ser√° um per√≠odo desafiador, que necessita de um clima pol√≠tico e social sereno, com a agenda de prioridades legitimada pelas urnas e com a sociedade minimamente unida em torno dela.
√Č com esse pano de fundo que acompanharemos o processo eleitoral. Um debate saud√°vel nos manter√° construtivos com o cen√°rio de m√©dio prazo, com proje√ß√Ķes similares √†s de consenso. Por outro lado, debates menos prof√≠cuos, combinados ou n√£o com propostas irrealistas, implicar√£o num risco maior de m√©dio prazo, com chance de termos que rever proje√ß√Ķes que, ainda que construtivas, est√£o j√° aqu√©m do progresso social e econ√īmico almejado por todos n√≥s.
Eduardo Jarra é head de macro e estratégia da Santander Asset Management