Mainnav

Metrus cria dois fundos exclusivos de investimento no exterior

BianconiKeiteMetrus 20fevO Metrus, fundo de pensão dos funcionários do Metrô paulistano, iniciou em janeiro, de uma tacada só, as operações de dois fundos multimercados exclusivos de investimentos no exterior. Geridos pela Schroders, os veículos foram criados sob medida para os dois planos previdenciários administrados pela entidade, o Plano I, de Benefício Definido (BD), e o Plano II, de Contribuição Variável (CV), com patrimônios líquidos ao redor de R$ 1,38 bilhão cada. “Aproveitamos a alta do dólar em janeiro para efetuar os resgates dos 14 fundos abertos com os quais operávamos e aplicamos os recursos nos exclusivos. Foi o ponto culminante de um projeto que começou a ser debatido internamente em 2019”, comenta a diretora-presidente Alexandra Leonello Granado.
Os fundos foram constituídos em março e maio do último ano. Em razão da crise gerada pela pandemia da Covid-19, o Metrus, no entanto, resolveu aguardar uma melhor definição dos cenários local e global para efetuar os primeiros aportes na dupla. “Ficamos de olho, sobretudo, no câmbio. Mas sem nenhuma ansiedade, até porque as carteiras de fundos externos vinham apresentando bons retornos”, assinala a diretora de investimentos e previdência Keite Bianconi.
A entidade realizou as suas primeiras apostas em mercados externos, em fundos conduzidos pela M Square e a Schroders, no segundo semestre de 2016. Os volumes começaram a ganhar escala nos últimos três anos, tendo saltado de uma média de 2% para 4% no Plano I e 5% no II. No último exercício, as carteiras do segmento proporcionaram retornos na faixa de 30,48% e 34,68. “Ao longo desse período, ampliamos o leque de aplicações em ativos no exterior, antes muito concentrado em renda variável”, diz Keite.
As metas estabelecidas para a Schroders são retornos de 4% e 5% ao ano além da variação cambial para os planos I e II, respectivamente. As alocações em mercados externos devem se manter estáveis no BD, mas têm muito espaço para crescer no CV. “Poderemos até mesmo lançar mão de mais um fundo exclusivo para realizar novos aportes. Tudo vai depender dos resultados que serão entregues pela Schroders”, observa a diretora de investimentos e previdência.