Mainnav

Fipecq adota app com reconhecimento facial para prova de vida

reconhecimento facialA Fipecq, fundo de pens√£o que tem a Finep, Ipea e CNPq como principais patrocinadores, passa a usar a partir deste m√™s o celular para fazer o recadastramento e a prova de vida do seu quadro de assistidos e pensionistas. O aparelho usa um aplicativo com biometria facial que permite recolher e atualizar na base de dados da entidade as informa√ß√Ķes e fotos do segurado.
O aplicativo, desenvolvido em tr√™s meses por uma empresa especializada contratada pela funda√ß√£o, ao ser baixado no celular carrega automaticamente as informa√ß√Ķes do assistido ou pensionista que est√£o armazenados na base de dados da Fipecq, permitindo aos mesmos conferirem e, em seguida, confirmarem ou corrigirem-nas. Al√©m disso, cruza as imagens faciais e de documentos enviadas pelo segurado com os registros da base de dados do Servi√ßo de Processamento de Dados (Serpro), para autentica√ß√£o.
‚ÄúO sistema √© totalmente seguro‚ÄĚ, garante o presidente da Fipecq, Cl√°udio Munhoz. ‚ÄúTemos buscado otimizar nossos processos com o objetivo de reduzir custos e riscos, revisamos todos os processos e normativos e estamos usando tecnologias dispon√≠veis no mercado para automatiz√°-los. Nossa meta √© termos todos os nossos processos automatizados e/ou terceirizado, mantendo na funda√ß√£o apenas a defini√ß√£o e a implanta√ß√£o de estrat√©gias e controles riscos‚ÄĚ, complementa.
O aplicativo inicia carregando os dados do segurado e após esses serem confirmados ou corrigidos, mostra na tela um espaço oval no qual o segurado deve enquadrar seu rosto para fazer uma foto, que será registrada por um sistema de biometria facial e enviada ao banco de dados do Serpro para análise e comparação com imagens lá existentes. O assistido ou pensionista também deve enquadrar seus documentos em outro espaço retangular da tela e fotografá-los, os quais também serão registrados e enviados ao Serpro para análise e comparação.
Apesar da sofistica√ß√£o da tecnologia, o sistema √© r√°pido e simples de ser usado. O assistido ou pensionista vai sendo orientando passo a passo no uso do aplicativo, podendo acionar bot√Ķes de consulta em caso de d√ļvidas.
De acordo com Munhoz, ‚Äúos maiores ganhos dessa nova forma de recadastramento ser√£o para nossos participantes e assistidos, que poder√£o fazer o recadastramento e at√© mesmo as atualiza√ß√£o de dados e de benefici√°rios atrav√©s do pr√≥prio celular‚ÄĚ.
Segundo ele, a partir de agora apenas o recadastramento via aplicativo será aceito pela entidade, com o abandono do recadastramento presencial. O processo de recadastramento dos assistidos da entidade começou nesta quarta-feira e durará 30 dias, finalizando em 30 de setembro.