Mainnav

Chile discute novo saque antecipado das reservas previdenci√°rias

ChileO Congresso chileno discute um projeto de lei que permitir√° aos participantes do sistema de fundos de pens√£o do pa√≠s um novo saque sobre as reservas previdenci√°rias. Se aprovada, ser√° a quarta vez desde o in√≠cio da pandemia do Coronavirus que tal medida √© adotada, com o resgate de at√© 10% das reservas dos participantes. A √ļltima vez que o saque antecipado foi adotado foi em abril deste ano, tamb√©m com o resgate de 10% das reservas.
O sistema de fundos de pens√£o do Chile funciona aproximadamente como o sistema de previd√™ncia aberta brasileiro, com contas individualizadas mas n√£o resgat√°veis geridas por administradoras de pens√Ķes com fins lucrativos. O sistema tem sido bastante criticado no Chile desde h√° alguns anos, pelas baixas aposentadorias retornadas aos trabalhadores ap√≥s d√©cadas de contribui√ß√Ķes, sendo um dos estopins das grandes manifesta√ß√Ķes de rua de 2019 que desaguaram  em pedidos de uma Constituinte ‚ÄĒatualmente instalada e discutindo uma nova carta magna para o pa√≠s.
Gabriel Guzmán, de 27 anos, como milhares de jovens trabalhadores chilenos cruza os dedos para que o Congresso chileno aprove uma quarta retirada antecipada das reservas dos fundos de pensão. "Concordo em fazer meu quarto saque porque hoje o dinheiro vale mais na minha mão, porque posso investi-lo", diz Guzmán que é formado em economia e foi ouvido pela agência France Press. Ele acha que consegue rentabilizar melhor o dinheiro do que a administradora onde o dinheiro está depositado.
Já o economista Víctor Salas, da Universidade de Santiago, também ouvido pela AFP, diz que "todos os economistas consideram indesejável, porque se trata de uma retirada de dinheiro guardado para a velhice".
De um total de 11 milh√Ķes de afiliados, cinco milh√Ķes j√° ficaram sem fundos nessas administradoras institu√≠das h√° 40 anos na ditadura de Augusto Pinochet (1973-1990).
Boa parte da atual expans√£o econ√īmica do Chile se deve ao forte aumento do consumo, gra√ßas aos saques e √†s ajudas governamentais √†s fam√≠lias, que no segundo semestre alcan√ßaram 16 dos 19 milh√Ķes de habitantes.