Mainnav

Rentabilidade consolidada das EFPCs é de 7,26% no semestre

Luis Ricardo Martins1A Associação Brasileira das Entidades Fechadas de Previdência Complementar (Abrapp) divulgou hoje (15/10) a rentabilidade consolidada das Entidades Fechadas de Previdência Complementar (EFPCs) no primeiro semestre do ano, que alcançou 7,26%. O retorno consolidado supera em 0,64 pontos percentuais a Taxa de Juros Padrão (define o rendimento mínimo das entidades), que ficou em 6,62% no semestre.
Segundo o presidente da Abrapp, Luís Ricardo Martins, o sistema fechou o semestre com patrimônio de R$ 1,14 trilhão e superávit líquido de R$ 19,1 bilhões. Ele ressaltou as dificuldades de rentabilizar o patrimônio das entidades em uma conjuntura de juros baixos como a atual, dizendo que uma medida que ajudaria seria rever os atuais limites da Resolução 4.661 para investimentos no exterior, elevando-os de 10% para 20%. “Esse é um pleito das nossas associadas, dobrar o limite para investimentos no exterior”, disse. “O sistema está repensando seus investimentos, buscando um pouco mais de risco, porém seguro, que seja suficiente para cumprir as metas de retorno para os próximos anos”.
Em coletiva de imprensa realizada três dias antes da abertura do Congresso da Abrapp, o presidente da entidade falou da importância para o sistema de previdência complementar dos planos instituídos, formados principalmente por entidades ligadas ao funcionalismo público federal, estadual e municipal, além de associações de classe e cooperativas, que já somam 626,7 mil participantes e patrimônio de R$ 14,495 bilhões.
Martins falou também sobre os planos família, que já são em número de 34, com patrimônio de R$ 519 milhões e incluem 80 mil pessoas. A expectativa é de que esses planos cheguem a 120 até o final de 2022, somando patrimônio de R$ 2 bilhões e incluindo 500 mil pessoas.