Mainnav
Fator_01.12.21

Abrapp lança Relatório de Sustentabilidade no seu 42º Congresso

ESGA Abrapp lançou no 42º Congresso Brasileiro da Previdência Privada (CBPP) o Relatório de Sustentabilidade das EFPC 2020, pesquisa feita pela associação com 57 EFPCs que responderam aos questionários enviados e correspondem a 72% do patrimônio das associadas. A pesquisa teve o apoio técnico da Sitawi – Finanças para o bem.
As entidades que responderam à pesquisa foram divididas em grupos de pequeno, médio e grande porte. São 11 entidades de grande porte (acima de R$ 10 bilhões de patrimônio), 25 de médio porte (entre R$ 2 bilhões e R$ 10 bilhões) e 21 de pequeno porte (abaixo de R$ 2 bilhões). Segundo o gerente sênior de finanças sustentáveis Sitawi, Felipe Nestrovsky, “quanto maiores as EFPCs, mais ativas elas são no tocante à temática ASG”. Junto com Glaucia Terreo, diretora da Global Reporting Iniciativa (GRI) no Brasil, e Raquel Castelpoggi, da área de sustentabilidade da Fundação Real Grandeza, ele participou de painel no congresso da Abrapp na qual a pesquisa foi apresentada.
A pesquisa indica que 71,9% das entidades ouvidas possuem abordagem de investimentos ESG formalizados. Quando se segmenta por tamanho, 90,9% das grandes, 76% das médias e 57,1% das pequenas possuem essa abordagem formalizada.
Em relação aos temas de maior preocupação das entidades, governança corporativa está no topo e clima na lanterninha. Preocupam-se com governança 90% das grandes, 63,2% das médias e 83,3% das pequenas, e com questões climáticas apenas 20% das grandes, 5,3% das médias e 8,3% das pequenas. Entre os dois extremos, preocupam-se com o tema meio ambiente (o relatório não explica porque separou clima de meio ambiente) 80% das grandes, 52,6% das médias e 75% das pequenas, e com o tema sociedade 80% das grandes, 52,6% das médias e 66,7% das pequenas.
Das 57 entidades respondentes, apenas 3 EFPC indicaram publicar relatório de sustentabilidade, sendo todas do grupo com investimentos acima de R$ 10 bilhões. Em relação à igualdade racial, verificou-se que, em todos os grupos de EFPC, os homens brancos ocupam o maior percentual de especialistas, coordenadores e gerentes, seguidos por mulheres brancas.
Para acessar, clique em Relatório de Sustentabilidade das EFPC 2020