Mainnav

Justiça do RJ dá vitória em 1ª instância ao Postalis, contra BNY Mellon

O Postalis, fundo de pensão dos funcionários do Correio, comunicou aos seus participantes ter conquistado sua primeira vitória contra o banco BNY Mellon, que foi administrador e gestor de fundos de investimentos da entidade. Segundo a fundação, na última terça-feira (10/05) a 2ª Vara Empresarial do Rio condenou o BNY Mellon, em primeira instância, a indenizar os cotistas do Fundo de Investimentos em Direitos Creditórios CJP (FIDC CJP), entre eles o Postalis, por prejuízos sofridos em 2011. O valor total da causa – incluindo todos os cotistas do fundo – seria de de R$ 56,7 milhões.
A origem da disputa estaria em 2011, quendo o NSG PG repassou direitos creditórios de ações judiciais ao FIDC CJP, fundo que possuía entre seus cotistas o Postalis. O BNY Mellon, como administrador e gestor do FIDC CJP, informou ao Postalis e aos demais cotistas que o valor de compra destes direitos creditórios seria de R$ 70,5 milhões e o valor a receber, no vencimento dos precatórios, de cerca de R$ 170 milhões, apurando uma diferença de quase R$ 100 milhões.
Entretanto, segundo a fundação, o preço cobrado pelo NSG teria sido de apenas R$ 13,8 milhões. O acréscimo de R$ 56,7 milhões no valor de compra não teria sido informado pelo BNY Mellon aos cotistas, que embora tenham lucrado com a operação tiveram seus ganhos diminuídos.
A decisão da 2ª Vara Empresarial do Rio é em primeira instância, então cabe recursos por parte do BNY Mellon.