Dívida líquida da Petrobras tem alta de 43% no 1T19 e soma R$ 372,2 bi

O balanço de resultos da Petrobras, referente ao primeiro trimestre do ano, divulgado ontem à noite, aponta o crescimento de 43% da dívida líquida da companhia, na comparação anual, totalizando R$ 372,2 bilhões. Segundo o documento da estatal, o resultado se deve à adoção do IRFS 16, com o impacto do lançamento de arrendamentos mercantis, que saltou de R$ 759 milhões para R$ 106 bilhões, na mesma base de comparação.
Desconsiderando o efeito IRFS 16, a dívida bruta teve redução de 9,7%, na comparação anual, e de 6% na comparação trimestral, somando R$ 307,1 bilhões.
O nível de alavancagem aumentou 5 pontos percentuais, passando de 51%, ao final de março do ano passado, para 56%. O índice de dívida líquida/Ebitda ajustado ficou em 3,19x ante 3,67x registrado no primeiro trimestre de 2018. A meta da Petrobras é de 1,5x para 2020.
A fatia da dívida da Petrobras em dólares representa 76% do total e em reais, 17%. Em dólares, a dívida líquida ficou em US$ 68,3 bilhões, queda de 1%, ante o quarto trimestre, e de 15,8%, ante o primeiro trimestre de 2018.


Cadastre-se e receba gratuitamente newsletter do site Investidor Institucional, com síntese das nossas notícias diárias. Preencha os dados abaixo e nos envie, inserindo a seguir o email ii@investidorinstitucional.com.br na sua lista de contatos para não sermos barrados como spam.
Li e concordo com termos e condições de uso