Mainnav

Gama quer ser hub de acesso a grandes fundos internacionais

Bernardo QueimaGamaCom a aquisi√ß√£o do controle da Gama Investimentos pela Itajub√° no final do ano passado, a gestora prepara-se para tornar-se um hub operacional de feeder funds que aplicam em fundos master de grandes casas internacionais. A gestora, que tinha R$ 6 bilh√Ķes em ativos sob gest√£o no final de 2021, quer ampliar sua grade de feeder funds dos 12 atuais para 25 a 30 at√© o final do ano.
As mudan√ßas j√° come√ßaram por l√°. O executivo Bernardo Queima deixou em dezembro de ser s√≥cio da Itajub√° para assumir a posi√ß√£o de CEO na Gama, cargo que ser√° formalizado assim que sa√≠rem as aprova√ß√Ķes necess√°rias da Anbima e da CVM.
As duas empresas continuarão a operar de maneira segregada, com suas equipes próprias e dedicadas. Ian Caó seguirá como CIO da Gama e Marcos Falcão, atual CEO e sócio da Gama, passará a ser conselheiro na Itajubá Holding.
O ‚Äúpulo do gato‚ÄĚ ser√° a oferta de servi√ßos e conte√ļdo para gestores, investidores e alocadores, avalia Queima. At√© porque montar o feeder √© s√≥ uma parte, o diferencial esperado vir√° do suporte comercial para todos os parceiras via web, com calls trimestrais, organiza√ß√£o de eventos, informa√ß√£o e conte√ļdo.
‚ÄúA experi√™ncia do investidor local ao acessar um desses fundos a partir de S√£o Paulo, por exemplo, precisa ser a mesma de quem est√° baseado em Nova York e investe num fundo da Bridgewater‚ÄĚ, explica. A gest√£o do feeder continuar√° a ser da Gama, mas o investidor vai saber que est√° comprando um fundo 100% da Bridgewater, por exemplo.
O time ter√° que crescer, assim como os investimentos em tecnologia. ‚ÄúH√° cinco anos seria imposs√≠vel pensar em montar uma estrutura como essa mas a tecnologia atual permite dar acesso a informa√ß√Ķes completas sobre os fundos e os seus gestores‚ÄĚ, diz.
O modelo começou a ser desenhado no final de 2019, quando a Gama lançou sua primeira estrutura de feeder funds, que davam acesso à estratégia All Weather da Bridgewater. De lá para cá, a Itajubá decidiu ganhar eficiência operacional com a montagem de uma estrutura de distribuição concentrada.
Os feeders criados pela Gama investem atualmente em ve√≠culos geridos por Oaktree, Man Group, Acadian, Lyxor e Bridgewater. S√£o 12 estrat√©gias l√° fora e 40 fundos locais, entre vers√Ķes com e sem hedge, explica Ian Ca√≥, s√≥cio e CIO. ‚ÄúNo final de 2021 formalizamos o acordo com a Itajub√° e tamb√©m consolidamos nosso papel como casa independente para oferecer feeder funds que investem em estrat√©gias geridas por gestores que s√£o refer√™ncia global‚ÄĚ, sublinha. O objetivo √© ter foco 99% nos produtos internacionais, apostando no potencial de crescimento da aloca√ß√£o do investidor brasileiro no exterior, ainda baixa.

Distribui√ß√£o pr√≥pria - Um dos movimentos para crescer prev√™ atrair gestores que tenham distribui√ß√£o pr√≥pria, indo al√©m daqueles que s√£o distribu√≠dos pela pr√≥ria Itajub√°. ‚ÄúVamos perseguir mandatos sem essa limita√ß√£o porque h√° espa√ßo para crescer e ampliar a base de distribuidores parceiros, assim como de investidores institucionais e de alocadores, todos reunidos no hub‚ÄĚ, diz Ca√≥.
Outro diferencial, acredita, √© a escolha de gestores que tenham muito tempo de estrada e governan√ßa forte. ‚ÄúQueremos desenvolver a atual grade e todas essas casas j√° trouxeram novas estrat√©gias para o Brasil em 2021‚ÄĚ, afirma. A inten√ß√£o √© trazer tamb√©m novos gestores e j√° h√° negocia√ß√£o aberta com v√°rios que s√£o considerados benchmark nesse mercado, incluindo uma casa forte em equities na √Āsia.
Os recursos aplicados pelos fundos de pens√£o brasileiros no exterior s√£o um dos alvos mas a casa ainda tem pouca penetra√ß√£o nesse segmento. ‚ÄúTemos conversado com todos os institucionais e h√° alguns relevantes mas que ainda est√£o muito atr√°s do que poderiam em percentual de ativos sob gest√£o. De todo modo,todos eles dizem que √© um foco absoluto aumentar suas plataformas globais‚ÄĚ, observa.
A tend√™ncia √© de expans√£o apesar da alta da Selic, avalia Ca√≥, at√© porque independente do carrego dos juros, n√£o h√° como deixar de ter um peda√ßo das carteiras diversificado exposto √†s din√Ęmicas de outros mercados.