Quasar Asset vê oportunidades em bonds de cias latino-americanas

CarlosMaggioliDiante da aguda deterioração recente nos preços dos ativos como reflexo da pandemia do novo coronavírus, gestores de recursos começam a alertar os investidores sobre as oportunidades que têm surgido. A Quasar Asset, focada no mercado de crédito, enxerga nos bonds de companhias latino-americanas um nicho promissor para realizar bons negócios nos próximos dias. No início de fevereiro, a gestora liderada por Carlos Maggioli adquiriu a Galloway, asset com atuação centrada em estratégias de crédito ‘high yield’ em mercados emergentes.

“A qualidade do crédito no nosso portfólio continua boa, mas há muita volatilidade nos preços causada por fluxos de mercado e vendas forçadas por fundos indexados ou que sofreram saques que fazem pouco ou nenhum sentido do ponto de vista fundamentalista”, escrevem os gestores do fundo que investe em títulos privados globais da Quasar, em carta aos investiores. Por isso, prosseguem os especialistas, alguns nomes de melhor qualidade estão sofrendo demais, em linha com créditos mais fracos, fenômeno que eles enxergam como uma oportunidade. “Estamos começando a utilizar um pouco da posição em caixa do fundo para comprar esses bons nomes a grandes descontos que em alguns casos são maiores que 30% em relação aos seus preços do mês anterior”.

No documento, os profissionais da Quasar destacam ainda que, embora tenha ocorrido um forte ajuste de taxas nos spreads dos bonds, não há perdas no fundo a não ser em caso de default. Uma dívida que está sendo marcada a mercado a 70% ou 80% do seu valor de face, por exemplo, vai voltar a valer 100% quando for paga, explicam os gestores. “Assim, como nosso fundo possui principalmente papéis de duration médio e baixo, o retorno dos preços deve ocorrer logo”, preveem os especialistas.