Mainnav

RBR foca em fundos imobili√°rios com lastro em ativos americanos

Daniel MalheirosCom R$ 5 bilh√Ķes sob gest√£o, a RBR Asset amplia este ano o alvo de seus fundos imobili√°rios para os EUA, mirando em particular a cidade de Nova York, onde v√™ grande potencial de retorno em gest√£o ativa de REITs (Real Estate Investment Trusts) e projetos de retrofit. A inten√ß√£o √© combinar as oportunidades dos fundos imobili√°rios ao ganho em d√≥lar dos neg√≥cios off shore. Os REITs, esp√©cie de fundos imobili√°rios americanos, ainda n√£o recuperaram totalmente seus pre√ßos depois da queda de 35% registrada durante a crise de 2020 e resta uma fatia de quase 20% a ser explorada em oportunidades com descontos no mercado e liquidez, estima Daniel Malheiros, s√≥cio respons√°vel pela estrat√©gia internacional da gestora.
Nessa frente de expans√£o, a gestora lan√ßou em janeiro deste ano um primeiro fundo de gest√£o ativa em REITs com aplica√ß√Ķes por meio de BDRs (Brazilian Depositary Receipts) e que est√° tamb√©m dispon√≠vel para os investidores de varejo no Brasil, al√©m dos investidores qualificados. ‚ÄúEstamos preparando novos fundos de REITs em BDRs para lan√ßamento nos pr√≥ximos seis meses e o objetivo √© captar R$ 1 bilh√£o em 24 meses‚ÄĚ, informa Malheiros.
Segundo ele, a rentabilidade dos REITs bateu os indicadores de bolsa nos EUA num per√≠odo de 20 anos, at√© 2020. ‚ÄúA gest√£o ativa permitiu entregar, na m√©dia, entre 10% a 15% em d√≥lar nesse per√≠odo nos dois principais √≠ndices de REITs na bolsa americana. Mas n√≥s miramos um alfa de 15% a 20% ao ano em d√≥lar nos pr√≥ximos tr√™s anos, por conta da recente queda dos pre√ßos‚ÄĚ, estima o gestor. Em rela√ß√£o ao mercado institucional brasileiro, ele acha que come√ßam a surgir os primeiros sinais de que est√° se repetindo aqui o movimento que ocorreu nos EUA h√° 15 anos: a invers√£o de posi√ß√Ķes entre fundos de pens√£o e investidores pessoas f√≠sicas. L√°, atualmente 80% dos investimentos em REITs s√£o de institucionais, enquanto no Brasil 80% dos investimentos em FII ainda est√£o nas m√£os de pessoas f√≠sicas.
Nos 23 pr√©dios adquiridos pelos ve√≠culos da RBR h√° dois anos, 70% dos apartamentos est√£o no Brooklyn e 30% em Manhattan. Depois de renovar e reformar os im√≥veis, as primeiras vendas foram feitas em dezembro de 2020 e dois pr√©dios foram vendidos por mais de R$ 60 milh√Ķes. Os im√≥veis integravam a carteira do fundo RBR Club I. ‚ÄúUm deles gerou retorno acumulado de 25% e o outro, 37% at√© dezembro, num projeto de retrofit para o qual hav√≠amos captado U$ 50 milh√Ķes‚ÄĚ, explica Malheiros. Com mais 21 pr√©dios prontos para venda num horizonte de dois a tr√™s anos, a asset est√° no momento tentando colocar em p√© seu segundo ve√≠culo de investimento imobili√°rio para institucionais e family offices, com ticket de U$ 500 mil.