Mainnav

Morre em S√£o Paulo o ex-presidente da Bovespa, Magliano Filho

Raimundo Magliano FilhoMorreu √†s 6:30hs desta segunda-feira (11/01), aos 78 anos, o empres√°rio Raymundo Magliano Filho, ex-presidente da Bolsa de Valores brasileira. Internado h√° 46 dias no Hospital Albert Einsten, em S√£o Paulo, com Covid-19, o executivo n√£o resistiu √†s complica√ß√Ķes decorrentes da doen√ßa. Ele tinha asma, o que agravou o quadro provocado pelo coronavirius, informou a assessoria da empresa.
Nascido em S√£o Paulo em 12/06/1942, o executivo come√ßou a trabalhar cedo, juntamente com o pai, na corretora Magliano, fundada em 1927, a mais antiga a operar na bolsa brasileira. E foi no mercado de a√ß√Ķes que ele deixou o seu maior legado profissional. ‚ÄúPerdemos hoje um dos nossos fundadores, um dos pioneiros do mercado de capitais e uma das pessoas que mais incansavelmente nos ajudaram a transformar, inovar e nunca perder o esp√≠rito de quem aprende‚ÄĚ, diz comunicado da B3.
‚ÄúN√£o h√° demonstra√ß√£o mais inequ√≠voca do legado e do profundo reconhecimento que devemos ao dr. Magliano Filho do que o fato de a B3 ter hoje 3 milh√Ķes de investidores pessoas f√≠sicas no mercado de capitais. Ele plantou a semente da democratiza√ß√£o e do acesso √† bolsa e n√£o h√° orgulho maior para n√≥s do que ajudar a colher esses frutos‚ÄĚ, diz o CEO da B3, Gilson Finkelsztain.
Magliano Filho presidiu a Bovespa entre os anos de 2001 e 2008, quando a instituição se fundiu com a BM&F (Bolsa de Mercadorias e Futuros) para formar a B3. Antes, ele havia sido vice-presidente da bolsa entre 1997 e 2000.