Mainnav

B3 cria programa para acelerar carreira de funcionárias negras

mulheres negrasA B3, visando ampliar a diversidade nos seus quadros de liderança, vai acelerar a carreira de mulheres negras dentro da empresa através de um programa de treinamento. A iniciativa foi anunciada nesta segunda-feira (25/7), durante evento comemorativo do Dia Internacional da Mulher Negra Latino-Americana e Caribenha.
Será criado um programa de mentoria para mulheres com foco em cargos de analista sênior e coordenadoras. Das 50 vagas disponíveis, 25 serão destinadas a mulheres negras. As inscrições para o programa irão até o início de agosto. Além de mentoria, as selecionadas participarão de trilhas de conhecimento em desenvolvimento de liderança em sessões ao longo de 1 ano, com início no dia 9 de setembro.
Tanto mentoradas quanto mentores serão treinados de acordo com as necessidades apresentadas ao longo do programa, tendo em vista as habilidades identificadas como focais para seu desenvolvimento de carreira. Nesta edição do programa, a seleção dos mentores - que também exercem papel de sponsors das mentoradas dentro da companhia - será composta por 70% de mulheres e 30% de homens que ocupam cargos de liderança na B3.
“Queremos crescer e expandir a representatividade na B3. O programa de mentoria é mais uma iniciativa para impulsionar as mulheres negras para alçarem voos cada vez mais altos e levarem a diversidade para a nossa liderança”, disse Ana Buchaim, diretora executiva de Pessoas, Marketing, Comunicação, Sustentabilidade e Investimento Social Privado da B3.
“A potência das organizações está na diversidade. É muito importante criar espaços não apenas para incluir mulheres negras no mercado financeiro, mas proporcionar um ambiente no qual possam desenvolver a sua carreira para conciliar com a maternidade e vida pessoal. Para criar representatividade e atingir diversidade de maneira orgânica é necessário respeitar cada história e individualidade”, pontuou Carolina de Araújo Bandeira, advogada e líder do núcleo Bl4ck da B3, que mediou uma das rodas de conversa.
Em 2021, a B3 foi a primeira bolsa do mundo a emitir um Sustainability Linked Bond (SLB), no valor de US$ 700 milhões, vinculado ao cumprimento de metas de diversidade, incluindo a de atingir 35% de mulheres em cargos de liderança até 2026.