Mainnav

Mercado crava corte de 0,50 pp na Selic, para 12,25% ao ano

jurosCome√ßa amanh√£ (31/10) e vai at√© quarta-feira (1¬ļ/11) a reuni√£o do Comit√™ de Pol√≠tica Monet√°ria (Copom) do Banco Central que decidir√° o pr√≥ximo corte da taxa b√°sica de juros, a Selic. A expectativa do mercado √© que, na quarta, ao final da reuni√£o, o BC anuncie um corte de 0,50 ponto percentual na Selic, com a taxa descendo dos atuais 12,75% para 12,25% ao ano.
Para o estrategista-chefe da corretora Warren Rena, S√©rgio Goldenstein, ‚Äúesperamos que o Copom reduza a meta Selic em 0,50 p.p. para 12,25%, em linha com o sinalizado na reuni√£o anterior e a vis√£o consensual do mercado‚ÄĚ. Ainda segundo ele, ‚Äúconsideramos como mais prov√°vel que o comunicado repita a mensagem de que os membros do Comit√™ anteveem redu√ß√£o de mesma magnitude nas pr√≥ximas reuni√Ķes e avaliam que esse √© o ritmo apropriado para manter a pol√≠tica monet√°ria contracionista necess√°ria para o processo desinflacion√°rio, colocando uma barra alta tanto para acelera√ß√£o quanto para a desacelera√ß√£o do ritmo de ajuste‚ÄĚ.
Tamb√©m a Bloomberg Economics aposta nessa dire√ß√£o. Comunicado divulgado pela casa e assinado pelos economistas Felipe Hernandez e Adriana Dupita, diz ver ‚Äúo BCB manter o seu plano de outro corte de 50 pontos base na sua reuni√£o de novembro. Isso levaria a taxa diretora para 12,25%, 150 pontos base abaixo do n√≠vel antes do ciclo de flexibiliza√ß√£o que come√ßou em agosto‚ÄĚ.
Ainda de acordo com o comunicado da Bloomberg Economics, ‚Äúapesar dos cortes, a pol√≠tica monet√°ria continua muito restritiva. A taxa diretora real ex-ante (a taxa diretora ajustada pela previs√£o consensual para a infla√ß√£o com 12 meses de anteced√™ncia) cairia para 8%, bem acima dos 4,5% que o BCB assume como neutros‚ÄĚ. Segundo a casa, ‚Äúo BCB poder√° reconhecer um ambiente global mais arriscado devido ao conflito no M√©dio Oriente e ao aumento dos rendimentos do Tesouro dos EUA. Isso pode parecer relativamente agressivo, mas n√£o achamos que impediria o BCB de reduzir as taxas nas pr√≥ximas reuni√Ķes‚ÄĚ.
A an√°lise da XP enfatiza que ferramentas de pesquisa ‚Äúindicam uma probabilidade de mais de 80% de corte de 0,50 p.p. na Selic‚ÄĚ. O relat√≥rio da casa, assinado pela head de renda fixa, Camilla Dolle, e pelas analistas de renda fixa, Mayara Rodrigues e Natalia Moura, avaliam que caso esse cen√°rio de corte de 0,50 p.p. na Selic se concretize, ‚Äúesperamos movimento brando na curva de juros, uma vez que j√° √© esperado por grande parte dos agentes de mercado. Sendo assim, uma movimenta√ß√£o seria resultado de corre√ß√£o da parcela daqueles que esperavam corte maior ou menor‚ÄĚ.
Ainda de acordo com o texto da XP, ‚Äúo que poderia trazer maior impacto seria um comunicado do Banco Central mais contundente em rela√ß√£o √†s perspectivas fiscais e mudan√ßas relevantes nas proje√ß√Ķes de IPCA‚ÄĚ. Elas ressaltam que, ‚Äúno entanto n√£o esperamos essas sinaliza√ß√Ķes‚ÄĚ.