Estoque de títulos na B3 cresce 27,8% em 2019 para R$ 627 bilhões

 

O estoque de títulos de renda fixa corporativos na B3 cresceu 27,8% em 2019, alcançando R$ 627 bilhões. Estão entre os títulos as debêntures, os Certificados de Recebíveis Agrícolas (CRA), os Certificados de Recebíveis Imobiliários (CRI) e as notas comerciais. Com crescimeto de 46,3%, para R$ 30,9 bilhões, as notas comerciais tiveram a maior expansão no período. Também registraram evolução as debêntures (de 34,1%, para R$ 476,6 bilhões) e os CRAs (de 18,7%, para R$ 42,7 bilhões), enquanto os CRIs recuaram 1,8%, para R$ 77,1 bilhões.

Os produtos de captação bancária também apresentaram aumento de estoque, porém com crescimento mais modesto, de 5,22%, para R$ 2 trilhões.
A Letra Imobiliária Garantida (LIG) apresentou um aumento expressivo de 456,32%; o percentual, contudo, precisa ser analisado considerando que se trata do primeiro ano de circulação do título, que começou a ser emitido em novembro de 2018 – seu estoque em dezembro passado chegou a R$ 11,2 bilhões.
Os CDBs cresceram 8,92%, para R$ 953,3 bilhões, e as Letras Financeiras, 18,15%, para R$ 357 bilhões. Já as Letras de Crédito Imobiliário recuram 9,4%, para R$ 141,8 bilhões.