Mainnav

Auditorias querem mudanças | Empresas defendem prazos diferentes para auditores e atuários e adoção de certificação para auditores especializados em fundos de pensão

Marcelo Teixeira, da Deloitte
Marcelo Teixeira, da Deloitte

Edição 268

 

As principais empresas de auditoria estiveram reunidas com o superintendente da Previc, Carlos de Paula, e sua diretoria, no último dia 13 de fevereiro. Em seu primeiro encontro com o setor, de Paula mostrou que vai buscar uma aproximação maior da autarquia com as empresas, diz Marcelo Teixeira, sócio da Deloitte que esteve na reunião representando o Ibracon (Instituto dos Auditores Independentes do Brasil). “Reunião uma vez por ano já era um prática com a Previc, mas a mensagem passada no e

Aumenta pressão inflacionária | Inflação acima do teto e corte de 0,25% nas metas atuariais pressionam resultados em 2014

Luiz Mário de Farias, da Towers Watson
Luiz Mário de Farias, da Towers Watson

Edição 264

 

Fundações sofrem atualmente um duplo impacto em suas metas atuariais mediante a dinâmica que se observa na economia, e também mais especificamente na previdência fechada. Isso porque, ao mesmo tempo em que as entidades vêem a inflação mais alta, como foi em setembro, quando o IPCA atingiu 6,75%, acima do teto, o que eleva o índice de correção dos planos e a taxa atuarial, elas ainda têm de trabalhar com reduções graduais de suas metas. A legislação exige red

Mercer estrutura consultoria focada em risco

Marco Pontes
Marco Pontes

Edição 263

A Mercer contratou Marco Pontes como consultor sênior de risco, com o objetivo de auxiliar as entidades de previdência complementar a se ajustarem nas novas regras de órgãos reguladores. Uma discussão em pauta é a supervisão baseada em risco, que volta a ser prioridade nos objetivos da Previc, principalmente após Carlos de Paula assumir a superintendência da instituição. Para Pontes, os fundos d

Por trás da compra da Russell | Aumento da regulação do mercado de índices e do segmento de ETFs está provocando maior concentração das empresas que atuam no setor

London Stock Exchange adquire Russell e fortalece negócio de índices
London Stock Exchange adquire Russell e fortalece negócio de índices

Edição 261

 

O mercado de benchmarks que são utilizados pela indústria de gestão de recursos, em produtos como os ETFs (Exchange Traded Funds) e outros tipos de fundos passivos ou ativos, está passando por um processo de reestruturação. O anúncio da aquisição da Russell Investments pelo London Stock Exchange Group (LSEG) é a principal amostra desse processo que deve afetar também as empresas menores. Especialistas apontam que a tendência de concentração de empresas é impulsionada pelo aumento da regulaçã

Novas opções em índices para o mercado de assets | MSCI começa a produzir família de índices alternativos para o mercado brasileiro

Paula Salamonde, da MSCI
Paula Salamonde, da MSCI

Edição 261

 

Mais uma empresa global começa a atuar no segmento de benchmarks conhecidos como smart betas voltados para o mercado brasileiro. Depois da FTSE Rafi e da S&P Dow Jones, que estão produzindo índices alternativos para o mercado local desde o ano passado, agora é a vez da MSCI cujos índices são seguidos por carteiras que somam mais de US$ 8 trilhões no mundo. Para o Brasil, a empresa começou a calcular os índices da família “factor indexes” desde o mês de junho passado.

Nova distribuidora focada em institucionais | Em linha com a criação de distribuidoras independentes por profissionais que deixam as grandes assets, acaba de surgir a Venko Investimentos

Edição 242

Com 25 anos de experiência de atuação em áreas comerciais junto aos fundos de pensão, Adolfo Alviço (ex-Bram e ex-UAM, a foto à direita), tomou a iniciativa de montar a nova empresa depois do desligamento do BBM Investimentos. A autorização da CVM para funcionamento da nova distribuidora independente começou a valer a partir agosto, mas ainda faltava um novo sócio. Foi então que Oswaldo Vasconce

Procuram-se consultores | Demanda dos fundos de pensão aquecem serviços em consultorias de investimentos, que se esforçam para manter e repor seus quadros de profissionais especializados

MONDELLI: executivos alçam voo solo
MONDELLI: executivos alçam voo solo

Edição 242

Para bater as metas atuariais em um cenário desafiador, os fundos de pensão têm aumentado a procura por consultores de investimentos. As consultorias comemoram o aumento da demanda de serviços, porém enfrentam dificuldades para atrair e reter profissionais de ponta. Vários consultores, que antes estavam nas principais empresas do segmento como Risk Office, PPS, Mercer e Luz Engenharia, deixaram as c

Consultoria da Xerox chega ao Brasil | Buck Consultants absorve profissionais da Triaxes para entrar no mercado de análise atuarial e gestão de passivo

JARDIM: setor mais exigente
JARDIM: setor mais exigente

Edição 242

 

Conhecida mundialmente pela prestação de serviços para planos de benefícios de empresas e fundos de pensão, a Buck Consultants está se instalando no Brasil para atuar no segmento de consultorias atuariais e gestão de passivo. Controlada pela gigante americana Xerox, a consultoria não começa do zero, pois está absorvendo toda a equipe da Triaxes, que deixa de existir. Os três sócios, Edson Jardim, Sandra Li

A importância de ser prudente | Agências de classificação de risco têm relevância questionada, exigindo mais proatividade de gestores e de reguladores do mercado financeiro

MOZZEO: avaliações internas e terceirizadas fortalecem gestão
MOZZEO: avaliações internas e terceirizadas fortalecem gestão

Edição 239

 

A mais famosa astróloga do planeta, Susan Miller, previu que o mês de  junho seria muito positivo para questões relacionadas a dinheiro para os nascidos sobre o signo de Escorpião. E ela errou feio. O empresário Eike Batista passou os últimos dias do mês dando explicações sobre suas empresas e viu sua posição, entre os mais ricos do mundo, despencar da 7ª para a 46ª sexta posição. N

Alongamento e novos ativos | Consultores de investimentos para investidores institucionais apontam as tendências para as carteiras das entidades fechadas de previdência complementar diante do novo cenário

Edição 238

 

Os consultores de investimen-tos que prestam serviços para entidades fechadas de previdência complementar terão mais trabalho daqui em diante. Com a queda da taxa de juros e a necessidade de diversificação das carteiras, esses profissionais terão de auxiliar seus clientes a analisar e selecionar produtos cada vez mais sofisticados. Entre as classes de ativos destacadas por especialistas