Mainnav

Por trás da compra da Russell Aumento da regulação do mercado de índices e do segmento de ETFs está provocando maior concentração das empresas que atuam no setor

London Stock Exchange adquire Russell e fortalece negócio de índices
London Stock Exchange adquire Russell e fortalece negócio de índices

Edição 261

 

O mercado de benchmarks que são utilizados pela indústria de gestão de recursos, em produtos como os ETFs (Exchange Traded Funds) e outros tipos de fundos passivos ou ativos, está passando por um processo de reestruturação. O anúncio da aquisição da Russell Investments pelo London Stock Exchange Group (LSEG) é a principal amostra desse processo que deve afetar também as empresas menores. Especialistas apontam que a tendência de concentração de empresas é impulsionada pelo aumento da regulaçã

Novas opções em índices para o mercado de assets MSCI começa a produzir família de índices alternativos para o mercado brasileiro

Paula Salamonde, da MSCI
Paula Salamonde, da MSCI

Edição 261

 

Mais uma empresa global começa a atuar no segmento de benchmarks conhecidos como smart betas voltados para o mercado brasileiro. Depois da FTSE Rafi e da S&P Dow Jones, que estão produzindo índices alternativos para o mercado local desde o ano passado, agora é a vez da MSCI cujos índices são seguidos por carteiras que somam mais de US$ 8 trilhões no mundo. Para o Brasil, a empresa começou a calcular os índices da família “factor indexes” desde o mês de junho passado.

Nova distribuidora focada em institucionais Em linha com a criação de distribuidoras independentes por profissionais que deixam as grandes assets, acaba de surgir a Venko Investimentos

Edição 242

Com 25 anos de experiência de atuação em áreas comerciais junto aos fundos de pensão, Adolfo Alviço (ex-Bram e ex-UAM, a foto à direita), tomou a iniciativa de montar a nova empresa depois do desligamento do BBM Investimentos. A autorização da CVM para funcionamento da nova distribuidora independente começou a valer a partir agosto, mas ainda faltava um novo sócio. Foi então que Oswaldo Vasconce

Procuram-se consultores Demanda dos fundos de pensão aquecem serviços em consultorias de investimentos, que se esforçam para manter e repor seus quadros de profissionais especializados

MONDELLI: executivos alçam voo solo
MONDELLI: executivos alçam voo solo

Edição 242

Para bater as metas atuariais em um cenário desafiador, os fundos de pensão têm aumentado a procura por consultores de investimentos. As consultorias comemoram o aumento da demanda de serviços, porém enfrentam dificuldades para atrair e reter profissionais de ponta. Vários consultores, que antes estavam nas principais empresas do segmento como Risk Office, PPS, Mercer e Luz Engenharia, deixaram as c

Consultoria da Xerox chega ao Brasil Buck Consultants absorve profissionais da Triaxes para entrar no mercado de análise atuarial e gestão de passivo

JARDIM: setor mais exigente
JARDIM: setor mais exigente

Edição 242

 

Conhecida mundialmente pela prestação de serviços para planos de benefícios de empresas e fundos de pensão, a Buck Consultants está se instalando no Brasil para atuar no segmento de consultorias atuariais e gestão de passivo. Controlada pela gigante americana Xerox, a consultoria não começa do zero, pois está absorvendo toda a equipe da Triaxes, que deixa de existir. Os três sócios, Edson Jardim, Sandra Li

A importância de ser prudente Agências de classificação de risco têm relevância questionada, exigindo mais proatividade de gestores e de reguladores do mercado financeiro

MOZZEO: avaliações internas e terceirizadas fortalecem gestão
MOZZEO: avaliações internas e terceirizadas fortalecem gestão

Edição 239

 

A mais famosa astróloga do planeta, Susan Miller, previu que o mês de  junho seria muito positivo para questões relacionadas a dinheiro para os nascidos sobre o signo de Escorpião. E ela errou feio. O empresário Eike Batista passou os últimos dias do mês dando explicações sobre suas empresas e viu sua posição, entre os mais ricos do mundo, despencar da 7ª para a 46ª sexta posição. N

Alongamento e novos ativos Consultores de investimentos para investidores institucionais apontam as tendências para as carteiras das entidades fechadas de previdência complementar diante do novo cenário

Edição 238

 

Os consultores de investimen-tos que prestam serviços para entidades fechadas de previdência complementar terão mais trabalho daqui em diante. Com a queda da taxa de juros e a necessidade de diversificação das carteiras, esses profissionais terão de auxiliar seus clientes a analisar e selecionar produtos cada vez mais sofisticados. Entre as classes de ativos destacadas por especialistas

Risco corrido por fundos vai além do investimento Deloitte ajuda em mapeamento de riscos que permeiam a atividade da previdência complementar fechada

Edição 232

 

A preocupação com os riscos dos investimentos já é uma realidade entre as entidades fechadas de previdência complementar no Brasil. Mas esse não é o único risco a que os fundos de pensão estão expostos. Rodrigo Abbruzzini, gerente de gestão de riscos em instituições financeiras da Deloitte, comenta que, de forma geral, o segmento de fundos de pensão está mais acostumado a lidar com o risco da gestão dos recursos e menos com outros tipos de risco. “Claro que os ri

A união faz a força? Towers Perrin e Watson Wyatt se unem para formar uma gigante do mercado de consultorias, mas especialistas (e concorrentes, claro) colocam a liderança da nova empresa à prova

Edição 205

A Towers, Perrin, Froster & Crosby e a Watson Wyatt Worldwide decidiram unir forças e se tornar uma só. No último dia 28 de junho, um domingo, as companhias anunciaram que suas respectivas diretorias aprovaram um acordo definitivo por meio do qual Towers Perrin e Watson Wyatt iriam se fundir em uma única empresa aberta, listada com o nome de Towers Watson & Co. Segundo comunicado das duas consultorias, com base no preço das ações ordinárias da Watson Wyatt no fechamento

Consultorias a todo vapor Crise econômica não diminuiu a demanda dos fundos de pensão por consultorias atuariais, financeiras e jurídicas, mas tipo de serviço requerido mudou nos últimos meses de turbulências

Edição 202

Assim como em tempos de crise como as pessoas consomem alimentos, bebidas, energia elétrica e serviços de telefonia e Internet, a necessidade de os fundos de pensão contarem com a ajuda de consultorias atuariais, financeiras e jurídicas pode até mudar de cara e