Mainnav

Do Brasil para o mundo

Edição 193

Jamie Dorrien-Smith defende diversificação de aportes

O Brasil entrou para ficar no radar dos investidores estrangeiros. A obtenção recente do grau de investimento, o crescimento econômico mais robusto nos últimos anos e a alta das commodities no mercado internacional são destacados por Jamie Dorrien-Smith, CEO da Schroders para as Américas, como fatores positivos que fazem do País um "mercado-chave" para a companhia. Além disso, a postura do Banco Central brasileiro, "um dos poucos a tomar medidas

O pior já passou

Edição 192

Albert Fishlow diz que agora o Brasil tem um futuro

O pior da crise norte-americana já passou. Para o economista Albert Fishlow, professor emérito e diretor do Centro de Estudos Brasileiros da Universidade de Columbia, os números da maior economia do mundo já começam a mostrar alguma reação e indicam que até o final do ano deve começar o processo de recuperação. “Já houve um recálculo da taxa de crescimento do primeiro trimestre, em vez de 0,6% saiu 0,9%, e para o segun

“Cautela com o superávit"

Edição 191

Eleito para comandar a Abrapp pelos próximos três anos, José de Souza

Eleito para comandar a Abrapp pelos próximos três anos, José de Souza Mendonça, da Indusprevi, exibe uma postura semelhante à do governo quando o assunto é distribuição de superávit. Mendonça teme que possa estar havendo uma precipitação em relação a essa "sobra teórica de recursos", especialmente por conta das atuais condições de mercado: bolsa andando de lado e juros mais baixos. "É preciso ter cuid

EUA já está em recessão

Edição 190

Alexandre Schwartzman fala sobre os reflexos da crise

Se ainda há divergências sobre a real situação da economia americana, para Alexandre Schwartzman, economista-chefe para a América Latina do ABN Amro, não restam dúvidas: os Estados Unidos já entraram em recessão. "Um pedaço grande da riqueza das famílias estava nas casas, que caíram de valor", explica o ex-diretor de Assuntos Internacionais do Banco Central, doutor pela Universidade da Califórnia (Berkeley). Schwartzman descarta a possibilidade

Troca sem mudanças

Edição 189

Ricardo Pena Pinheiro reforça prioridades da SPC

O novo secretário da Previdência Complementar, Ricardo Pena Pinheiro, é um veterano na casa. Quando Adacir Reis assumiu a SPC, em janeiro de 2003, Pena foi convidado para ser o diretor de assuntos econômicos. Em meados de 2006, quando Reis deixou a SPC e Leonardo Paixão assumiu a secretaria, Pena virou seu adjunto. Agora, com a renúncia de Paixão, ele assumiu a titularidade do órgão no dia 19 de fevereiro. Portanto, sua g

“O pior já passou”

Edição 188

Octavio de Barros fala sobre impactos da crise nos EUA

Num momento em que o nervosismo prevalece sobre os mercados mundiais, uma voz destoa da manada financeira. Octavio de Barros, diretor de pesquisa macroeconômica do Bradesco, maior banco privado do País, avalia que boa parte do problema provocado pela crise do subprime está solucionada, mesmo não sendo possível, por enquanto, determinar o tamanho do estrago. Para o experiente economista, os balanços dos bancos devem

Hora e vez da infra-estrutura

Edição 187

Guilherme Lacerda, da Funcef, fala sobre o setor de energia

Os investimentos em infra-estrutura são um dos alvos principais da Funcef na ampliação dos investimentos em renda variável, revela o presidente do fundo de pensão dos funcionários da Caixa, Guilherme Lacerda. Nesta entrevista, ele diz que se a Funcef não entrar na sociedade que vai construir a hidrelétrica Santo Antônio deverá buscar parceria para participar da usina de Jirau, o segundo empreendimento do comple

Turbulência na Abrapp

Edição 186

Fábio Mazzeo fala sobre as eleições na Abrapp

O presidente da Metrus, Fábio Mazzeo, fala nesta entrevista dos motivos que o levaram a pedir a impugnação de Fernando Pimentel, atual presidente da Associação Brasileira de Previdência Privada (Abrapp), na chapa única que concorre às eleições da entidade. Mazzeo insiste na tese de que a Abrapp não mudou e a candidatura de Pimentel fere o estatuto, que veta o terceiro mandato. Ele responde às críticas de que “isso é coisa do

“Não somos aventureiros”

Edição 185

Alfredo Setubal e Marcio Verri apresentam a Kinea

Ao anunciar, no fim de outubro, a criação da Kinea, gestora de investimentos alternativos, o Itaú mexe uma importante peça no tabuleiro de xadrez que se transformou a concorrência bancária brasileira. Voltada para operações de hedge funds, real estate e private equity, a nova empresa deve ampliar, significativamente, a base de clientes do banco. A idéia de vender produtos sofisticados, típicos de uma butique de investime

Da moeda às letras

Edição 184

Gustavo Franco comenta sobre seu novo livro

Gustavo Franco não é só o homem que segurou o dólar na casa do R$ 1 por muito tempo, ancorando os preços do mercado brasileiro num dólar baixo que ajudou a domar a inflação e que ficou conhecido entre os economistas como âncora cambial. Também não é só o homem que saiu do governo e, passado sua quarentena, montou uma das empresas mais ativas em estruturação de operações imobiliárias, num primeiro momento, e mais propriamente f