Mainnav

Emiss√Ķes de deb√™ntures incentivadas caem no ano, at√© setembro

De janeiro a setembro deste ano, as emiss√Ķes de deb√™ntures incentivadas somaram R$ 16,9 bilh√Ķes, queda de aproximadamente 4% frente aos R$ 17,6 bilh√Ķes em igual per√≠odo do ano passado, segundo dados divulgados nesta sexta-feira (23/10) pelo Minist√©rio da Economia.
Em alta desde 2016, o prazo m√©dio das emiss√Ķes atingiu 12,3 anos no per√≠odo, enquanto a remunera√ß√£o m√©dia foi de √ćndice de Pre√ßos ao Consumidor Amplo (IPCA) + 5,6% ao ano, superior √† de IPCA + 4,7% de 2019.
Na distribui√ß√£o setorial do ano, predomina o setor de energia, que concentrou 65% das emiss√Ķes, seguido dos setores de saneamento e transporte/log√≠stica, que alcan√ßaram, respectivamente, 19% e 16%.
Em setembro, foi registrado um total de 124 mil cotistas em fundos de deb√™ntures incentivadas de infraestrutura, contra 180 mil em dezembro de 2019 ‚Äď portanto, uma sa√≠da acumulada de 55 mil cotistas. Em rela√ß√£o ao m√™s anterior, por√©m, ocorreu um ingresso l√≠quido de 860 cotistas.

BNDES emite R$ 1 bilh√£o em Letras Financeiras Verdes

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econ√īmico e Social (BNDES) emitiu R$ 1 bilh√£o em Letras Financeiras Verdes (LFV), com a liquida√ß√£o financeira dos t√≠tulos nesta quinta-feira (22/10). Segundo o banco, a LFV segue o mesmo arcabou√ßo dos ‚Äúgreen bonds‚ÄĚ internacionais, garantindo que a aplica√ß√£o dos recursos seja destinada a financiar projetos ambientalmente sustent√°veis, atestados por uma empresa verificadora, especializada na √°rea ambiental. No caso desta emiss√£o, os recursos ser√£o destinados a projetos de gera√ß√£o e√≥lica ou solar.
O BNDES explica ainda que, diferentemente da emiss√£o do ‚Äúgreen bond‚Äú em 2017, voltada ao mercado externo, dessa vez a oferta foi toda no mercado dom√©stico brasileiro, com vencimento de dois anos e taxa de CDI + 0,45% ao ano. A demanda, oriunda principalmente de institui√ß√Ķes financeiras e institucionais locais, superou os R$ 7 bilh√Ķes.
‚ÄúA carteira de financiamentos do BNDES j√° √© majoritariamente verde e, agora, se torna ainda mais sustent√°vel com esse novo instrumento, positivo para as empresas que atendem aos princ√≠pios ASG e para toda a sociedade‚ÄĚ, disse Bianca Nasser, diretora de finan√ßas do BNDES, em nota.

BB e B3 desenvolvem produtos de investimento com a tem√°tica ESG

empresas esgSeguindo uma tend√™ncia que ganha for√ßa no mercado brasileiro, de incluir a tem√°tica ESG (ambiental, social e de governan√ßa) nos produtos de investimento, a equipe de an√°lise do BB Investimentos acaba de lan√ßar a ‚ÄúSele√ß√£o BB ESG‚ÄĚ, relat√≥rio que destaca as companhias mais em linha com as melhores pr√°ticas socioambientais e de governan√ßa corporativa.
A primeira sele√ß√£o traz as seguintes empresas: Lojas Renner, Santander, Ita√ļ, Bradesco, Natura, Klabin, Suzano, M. Dias Branco, Sabesp, Localiza e Weg. ‚ÄúMuitas gestoras de recursos no exterior, principalmente na Europa, j√° v√™m incorporando crit√©rios ESG em suas pol√≠ticas de investimento. Em 2019, os fundos europeus especializados em investimentos sustent√°veis captaram o valor recorde de ‚ā¨120 bilh√Ķes. No ano passado, as gestoras de recursos europeias, que adotavam crit√©rios de ESG em suas estrat√©gias de aloca√ß√£o, cresceram 56% e j√° respondiam por cerca de ‚ā¨668 bilh√Ķes em recursos administrados‚ÄĚ, diz o relat√≥rio do BB Investimentos, assinado pelos analistas Henrique Tomaz e Victor Penna.
J√° a B3, explorando uma outra vertente, pretende lan√ßar novos √≠ndices que reunam as melhores empresas para se trabalhar. Para isso, fez uma parceria com a consultoria global GPTW (Great Place to Work), que fornecer√° a base das empresas com ativos negociados na B3 e que integrar√£o o movo benchmark. ‚ÄúA iniciativa est√° alinhada ao posicionamento estrat√©gico da B3 de fortalecer seu portf√≥lio de produtos ESG (Environmental, social and corporate governance) e abrir novas oportunidades de neg√≥cios nessa √°rea‚ÄĚ, diz a B3, em nota.
‚ÄúRespeito, imparcialidade e liberdade no ambiente de trabalho, al√©m da promo√ß√£o de iniciativas para o bem estar e equil√≠brio dos funcion√°rios s√£o valores e compromissos das empresas que atuam de forma respons√°vel no pilar Social. A promo√ß√£o das pr√°ticas internas de diversidade e inclus√£o √© outra caracter√≠stica das empresas socialmente respons√°veis e isso est√° conectado diretamente √† agenda ESG‚ÄĚ, afirma Ana Buchaim, diretora de Pessoas, Comunica√ß√£o, Marketing e Sustentabilidade da B3.
Comp√Ķe o portf√≥lio de √≠ndices de Sustentabilidade da B3 o ISE (√ćndice de Sustentabilidade Empresarial), o ICO2 (√ćndice Carbono Eficiente), o √ćndice S&P/B3 Brasil ESG, o IGTC (√ćndice de Governan√ßa Corporativa Trade), o ITAG (√ćndice de A√ß√Ķes com Tag Along Diferenciado), o IGCX (√ćndice de A√ß√Ķes com Governan√ßa Corporativa Diferenciada) e o IGNM (√ćndice de Governan√ßa Corporativa Novo Mercado).

MZK Investimentos contrata Fabio Barbieri para ‚Äúbook‚ÄĚ de a√ß√Ķes

A MZK Investimentos anunciou a contrata√ß√£o do gestor Fabio Barbieri para ser o respons√°vel pelo ‚Äúbook‚ÄĚ de a√ß√Ķes do MZK Din√Ęmico FIC FIM. Segundo a asset, o profissional vai se valer de ferramentas quantitativas para constru√ß√£o do portf√≥lio.
Barbieri iniciou sua carreira no Unibanco, com passagens também pelos bancos BBM e Santander e pela Apex Capital.
Ele √© graduado em Engenharia Aeron√°utica pelo Instituto Tecnol√≥gico de Aeron√°utica (ITA-SP), possui mestrado em Finan√ßas Corporativas pela Funda√ß√£o Get√ļlio Vargas (FGV-RJ), MBA pela London Business School (LBS) e Mestrado e Doutorado em Engenharia de Sistemas pela Escola Polit√©cnica da Universidade de S√£o Paulo (POLI-USP) com √™nfase em ferramentas de intelig√™ncia artificial.

CVM regulamenta distribui√ß√£o p√ļblica de LFs e LIGs

A Comiss√£o de Valores Mobili√°rios (CVM) editou hoje (14/10) a Resolu√ß√£o CVM 8, que dispensa dos ritos e despesas associadas ao registro as ofertas p√ļblicas de distribui√ß√£o de Letras Financeiras (LFs) e Letras Imobili√°rias Garantidas (LIGs), a exemplo do que j√° est√° prevista para os Certificados de Opera√ß√Ķes Estruturadas (COEs). O novo normativo, que entrar√° em vigor em 1/2/2021, revoga a Instru√ß√£o CVM 569.
A CVM optou por seguir o modelo de distribui√ß√£o previsto para o COE, a fim de a simplificar a regulamenta√ß√£o sobre as ofertas p√ļblicas de LIG e LF, reduzindo o custo de observ√Ęncia e conferindo maior seguran√ßa jur√≠dica na atua√ß√£o das institui√ß√Ķes emissoras quando atuam na distribui√ß√£o dos t√≠tulos.
‚ÄúO encaixe da LIG e da LF na mesma plataforma de distribui√ß√£o dos COE reafirma o compromisso da CVM em atentar para o √īnus regulat√≥rio gerado pelas suas normas e pela busca de modelos mais eficientes de se permitir a capta√ß√£o p√ļblica de recursos sem preju√≠zo da prote√ß√£o do mercado e da decis√£o informada e refletida do investidor‚ÄĚ ‚Äď comentou Marcelo Barbosa, presidente da CVM. A Resolu√ß√£o.

Código da TIM na Bolsa passa a ser TIMS3

As a√ß√Ķes da empresa de telefonia TIM passaram a ser negociadas nesta ter√ßa-feira (13/10) pelo ticker TIMS3 na B3. A mudan√ßa √© parte da conclus√£o da reestrutura√ß√£o societ√°ria proposta pela companhia neste ano, que consistiu na incorpora√ß√£o da TIM Participa√ß√Ķes S.A., at√© ent√£o negociada na B3 com o ticker TIMP3, pela subsidiaria integral TIM S.A., que agora ser√° listada em bolsa.
O movimento n√£o trar√° impactos aos acionistas minorit√°rios e atuais investidores da companhia. ‚ÄúEstamos nos reestruturando para entregar ainda mais efici√™ncia operacional e financeira‚ÄĚ, afirmou Adrian Calaza, CFO da TIM Brasil, em nota.
A empresa permanece listada no Novo Mercado e na composi√ß√£o das carteiras de √≠ndices de mercado que a TIMP3 j√° integrava, inclusive o √ćndice de Sustentabilidade Empresarial (ISE).

Emiss√Ķes de empresas somam R$ 84,2 bilh√Ķes no terceiro trimestre

As ofertas das companhias brasileiras no mercado de capitais somaram R$ 84,2 bilh√Ķes no terceiro trimestre e elevaram o total do ano para R$ 236,9 bilh√Ķes. De acordo com os dados da Associa√ß√£o Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais (Anbima), o volume de emiss√Ķes em 2020 est√° 21,4% abaixo do verificado no mesmo per√≠odo de 2019. Para os pr√≥ximos meses, contudo, j√° est√£o em andamento opera√ß√Ķes que podem totalizar R$ 18,2 bilh√Ķes, al√©m de ofertas em an√°lise (desconsiderando as de a√ß√Ķes) que equivalem a R$ 9,1 bilh√Ķes.
O destaque de 2020 s√£o as opera√ß√Ķes de renda vari√°vel, com volume acumulado de R$ 69,2 bilh√Ķes at√© setembro. O resultado representa avan√ßo de 20,5% sobre o mesmo per√≠odo do ano passado. No ano, 11 ofertas iniciais (IPOs, no acr√īnimo em ingl√™s) j√° foram encerrados (somando R$ 13,8 bilh√Ķes) e sete est√£o registrados na Comiss√£o de Valores Mobili√°rios (CVM). Entre as ofertas subsequentes, 18 opera√ß√Ķes atingiram R$ 55,4 bilh√Ķes.
"Mesmo ainda enfrentando a pandemia, o terceiro trimestre foi um bom momento para os IPOs. As opera√ß√Ķes realizadas at√© agora mostram que o nosso mercado est√° mais maduro e sadio e se consolida como importante fonte para as companhias levantarem recursos. Al√©m disso, continuamos com os juros baixos, o que t√™m favorecido as boas ofertas", afirma Sergio Goldstein, vice-presidente do F√≥rum de Estrutura√ß√£o de Mercado de Capitais da Anbima.
Na renda fixa, as deb√™ntures representam a maior parcela de emiss√Ķes do mercado de capitais no ano, com 31% do volume total de ofertas, da ordem de R$ 73,5 bilh√Ķes. O montante √© 45,9% menor do que o registrado entre janeiro e setembro de 2019.
Entre os instrumentos de securitiza√ß√£o, Certificados de Receb√≠veis Imobili√°rios (CRIs) se sobressaem, com 188 s√©ries emitidas, acumulando R$ 9,9 bilh√Ķes entre janeiro e setembro. Os Certificados de Receb√≠veis Agr√≠colas (CRAs) chegaram a R$ 8,9 bilh√Ķes, a partir de 42 s√©ries ofertadas. Considerados produtos h√≠bridos entre renda fixa e vari√°vel, os fundos imobili√°rios tamb√©m est√£o em alta, com volume de R$ 29,7 bilh√Ķes em 2020, o que representa avan√ßo de 18,1% sobre o mesmo per√≠odo do ano passado.
No mercado externo, 23 opera√ß√Ķes foram realizadas entre janeiro e setembro, totalizando R$ 102,6 bilh√Ķes (US$ 21,6 bilh√Ķes). Os destaques s√£o as emiss√Ķes de bonds, com volume de R$ 97,6 bilh√Ķes, equivalente a US$ 20,5 bilh√Ķes.

Santander assume o controle da corretora mineira Toro

O Santander Brasil anunciou nesta ter√ßa-feira (29/09) a aquisi√ß√£o do controle da corretora mineira Toro Investimentos, que absorver√° a Pi Investimentos, criada pela institui√ß√£o espanhola em mar√ßo √ļltimo. Pelo acordo, ainda sujeito √† aprova√ß√£o das autoridades, o Santander passar√° a deter 60% de participa√ß√£o no capital social da Toro. S√≥cio-fundador da casa, Gabriel Kallas seguir√° no cargo de CEO e o atual CEO da Pi, Jos√© Clemenceau, assumir√° a fun√ß√£o de COO.
A Toro surgiu em 2010, em Belo Horizonte, e h√° dois anos passou a atuar na intermedia√ß√£o de transa√ß√Ķes de valores mobili√°rios. Nos √ļltimos cinco meses, a corretora saltou da 20¬™ para a 12¬™ posi√ß√£o na B3 em volume de neg√≥cios. J√° a Pi conta em sua plataforma com mais de 240 produtos de renda fixa.

Localiza e Unidas juntas √© ‚Äútransformacional‚ÄĚ, diz s√≥cio da Fama

LocalizaA incorporação da Unidas pela Localiza, divulgada ao mercado nesta quarta-feira (23/09), cria um modelo de plataforma mais robusto para aproveitar as novas oportunidades de mercado que estão surgindo na área da mobilidade, que incluem maior utilização de veículos alugados por motoristas de aplicativos e a expansão do mercado de carros por assinatura. À tarde, quando esta reportagem foi escrita, a ação da Localiza subia quase 20% na B3, indicando que o mercado recebeu bem a notícia da união das duas empresas.
Para o s√≥cio da Fama Investimentos, Michael Wickert, essa √© uma opera√ß√£o na qual o resultado final pode ser maior que a soma das partes. ‚ÄúPodemos falar que estamos vivendo um momento transformacional do setor‚ÄĚ, analisa. A Fama √© um tradicional investidor da Localiza. Atualmente, dos R$ 2,3 bilh√Ķes que possui sob gest√£o, cerca de 12% s√£o de a√ß√Ķes da Localiza.
Segundo Wickert, se a an√°lise do Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econ√īmica) acontecesse alguns anos antes, provavelmente a opera√ß√£o teria muita dificuldade em ser aprovado. Mas hoje, segundo ele, ‚Äúas novas avenidas de crescimento do setor, incluindo o uso de carros alugados por motoristas de aplicativos, num percentual que ainda √© muito pequeno mas est√° em crescimento, assim como o carro por assinatura, que representa uma mudan√ßa muito forte num h√°bito do consumo porque troca a posse pela utiliza√ß√£o, aumentam muito o mercado endere√ß√°vel da nova companhia‚ÄĚ.
Ainda de acordo com Wickert, esses s√£o os argumentos que a Localiza deve levar ao Cade e o √≥rg√£o de defesa da concorr√™ncia deve lev√°-los em conta na sua an√°lise e decis√£o. ‚Äú√Č uma cadeia de neg√≥cios que est√° se tornando cada vez mais complexa, mas que apresenta oportunidades de neg√≥cios bastante interessantes‚ÄĚ.
Em rela√ß√£o √† cultura empresarial da nova empresa, resultante da uni√£o das duas, o s√≥cio da Fama avalia que deve prevalescer a da Localiza, por ser maior. A transa√ß√£o, que ocorrer√° por meio de incorpora√ß√£o de a√ß√Ķes, dar√° aos acionistas da Unidas 0,468280 a√ß√Ķes ordin√°rias de emiss√£o da Localiza por cada 1 a√ß√£o da Unidas que possuam. Com isso, os acionistas da Unidas passariam a deter 23,1% do capital social e direito de voto na nova empresa contra 76,85% de direitos dos acionistas da Localiza.

Localiza e Unidas anunciam uni√£o das opera√ß√Ķes em nova empresa

Eugenio Mattar1As empresas Localiza e Unidas apresentaram nesta quarta-feira (23/09) um an√ļncio de inten√ß√£o de uni√£o de suas opera√ß√Ķes, que prev√™ a cria√ß√£o de uma companhia refer√™ncia mundial em mobilidade a partir da oferta de aluguel de ve√≠culos, gest√£o de frotas corporativas e carros por assinatura. A transa√ß√£o ocorrer√° por meio de incorpora√ß√£o de a√ß√Ķes, com a estrutura composta pelos acionistas das duas companhias, e deve ser submetida √† aprova√ß√£o de assembleias de acionistas de ambas as empresas.
Al√©m das assembleias de acionistas das empresas, a opera√ß√£o depende da aprova√ß√£o do CADE (Conselho Administrativo de Defesa Econ√īmica), o √≥rg√£o de defesa da concorr√™ncia. Se aprovada, a opera√ß√£o dar√° origem a uma empresa com frota consolidada de mais de 468 mil ve√≠culos, valor de mercado consolidado de R$ 48 bilh√Ķes, receita consolidada (12 meses at√© 2Q20) de R$ 14,3 bilh√Ķes e presen√ßa, al√©m de Brasil, em pa√≠ses como Argentina, Chile, Col√īmbia, Equador, Paraguai e Uruguai.
"Com tecnologia de ponta, a soma dos melhores talentos, a forte reputação das marcas e a experiência de anos de mercado, esperamos nos tornar referência global em mobilidade e contribuir para a transformação desse mercado cada vez mais competitivo", afirma Eugênio Mattar, CEO da Localiza.
O executivo destaca, dentre os principais benef√≠cios da uni√£o, os investimentos em inova√ß√£o tecnol√≥gica, o desenvolvimento de plataformas e a diversifica√ß√£o do portf√≥lio e solu√ß√Ķes.
"Estaremos fortalecidos para alavancar m√ļltiplas avenidas de crescimento em um setor altamente din√Ęmico, garantindo a melhor jornada aos nossos clientes e assumindo o protagonismo ao promover inova√ß√Ķes, como o carro por assinatura", acrescenta Mattar.
Localiza e Unidas s√£o empresas listadas no Novo Mercado da B3 e com alto comprometimento em quest√Ķes relacionadas √† sustentabilidade. A Localiza √© membro do Pacto Empresarial pela Integridade e Contra a Corrup√ß√£o, iniciativa do Instituto Ethos em parceria com o Programa das Na√ß√Ķes Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), o F√≥rum Econ√īmico Mundial, a Rede Brasileira do Pacto Global e a Patri Rela√ß√Ķes Governamentais & Pol√≠ticas P√ļblicas.
"Essa estrutura de governan√ßa, desenhada dentro de padr√Ķes de excel√™ncia, agrega valor √† companhia e proporciona equidade, conformidade, presta√ß√£o de contas e transpar√™ncia aos stakeholders internos e externos", ressalta o CEO da Localiza.