Mainnav

Real Grandeza prepara seleção de gestores de fundos de investimento no exterior

A Fundação Real Grandeza, o fundo de pensão dos funcionários de Furnas e da Eletrobras Termonuclear, se prepara para realizar as suas primeiras alocações em fundos de investimento no exterior. A entidade já elaborou o manual de referência para a seleção de gestores no segmento e deve iniciar ao processo de escolha em 30 dias. "O trabalho está quase todo concluído. Uma das raras pendências é a definição do número de gestores com os quais iremos operar", diz o diretor-presidente Sergio Wilson Ferraz Fontes. "Depois de elevarmos de 2,5% para 5% o limite de aplicações da carteira em fundos voltados ao mercado externo, vamos, enfim, lançar mão dessa opção."

EatonPrev transfere plano para multipatrocinado

A Superintendência Nacional de Previdência Complementar (Previc) autorizou na última terça-feira (19/01) a transferência de gerenciamento do Plano de Benefícios Eaton, da EatonPrev Sociedade Previdenciária, para o Multiprev, fundo de pensão multipatrocinado ligado à Metlife. Com sede em Valinhos (SP), a entidade, criada em fevereiro de 1990, soma cinco patrocinadores: Eaton, Eaton Power Solution, Bussmann do Brasil, Cooper Power Systems do Brasil e Blinda Indústria e Comércio. Em setembro último, a EatonPrev contabilizava uma carteira de investimentos de R$ 342,43 milhões, 3,7 mil participantes ativos e 245 assistidos.

Planos da Viva Previdência fecham o ano no positivo

A Viva Previdência, fundo de pensão multi-instituido e multipatrocinado, encerrou 2020 com retornos positivos para seus três planos em atividade, o Viva Empresarial, o Viva Futuro e o Viva Pecúlio. Mas apenas o Viva Futuro conseguiu bater sua referência atuarial de 110% do CDI (2,90% no ano), com uma rentabilidade de 4,58% no acumulado de 12 meses. Os outros dois, o Viva Empresarial e o Viva Pecúlio, com rentabilidades de 2,68% e 4,61% no ano, ficaram abaixo dos seus objetivos atuariais de 2,90% e 9,73%, respectivamente.
A fundação possui um patrimônio de cerca de R$ 2,57 bilhões e 48 mil participantes. “Apesar do movimento de grande volatilidade nos preços dos ativos no ano passado, a Viva apresentou números surpreendentes”, afirma Silas Devai Jr., diretor-presidente da fundação.
Dentre os três planos da fundação, o Viva Pecúlio é o maior deles, com R$ 2,49 bilhões em patrimônio e 48 mil participantes ao final do ano passado. O Viva Empresarial vem em segundo lugar, com patrimônio de R$ 82,59 milhões e 1.399 participantes no mesmo período. E o Viva Futuro é o menor deles, com patrimônio de R$ 738,22 mil e 1.376 participantes.

Alexandre Ulm assume gerência de renda variável na Petros

O economista Alexandre Ulm é o novo gerente de renda variável da Petros, em substituição à Luis Guedes que deixou a fundação no final do ano passado para assumir o cargo de gestor sênior de renda variável na Vinci Partners. Ulm integra a equipe de renda variável da fundação desde julho do ano passado, tendo sido promovido à gerente com a saída de Guedes.
Ele possui mais de 20 anos de experiência na área de investimentos, sendo especialista em avaliação de empresas (valuation) e gestão de fundos de ações. Antes de chegar à Petros, em julho de 2020, atuou como gestor de renda variável na MAG Investimentos, onde também era membro dos comitês de gestão de renda variável, renda fixa, macro/multimercados e de crédito. Já havia atuado na mesma função na Canepa Asset Management e na Icatu Vanguarda Gestão de Recursos. Também tem passagem pela área de investimentos da Ágora Corretora e pela Fundação Eletros.
É formado em ciências economicas pela UERJ e possui mestrado em economia e finanças e MBA em finanças corporativas pelo Ibmec.

CuritibaPrev avalia impactos da diversificação adotada em 2020

LitzMarcosAurelioA CuritibaPrev, especializada em previdência para estados e municípios, avalia o resultado da guinada que promoveu na gestão de seus investimentos em meados do ano passado, em plena turbulência da pandemia. A nova modelagem apostou na diversificação de uma carteira que até então era altamente concentrada na renda fixa e contou com o aspecto favorável de ter sido inaugurada em agosto, no momento em que os mercados começavam a reagir à crise.
De uma rentabilidade acumulada negativa de 1,73% até agosto, a entidade saltou para resultado positivo de 3,13% no final do ano, o que ainda está abaixo da meta de 3,73% mas sinalizou o acerto do novo modelo descorrelacionado, analisa o diretor Financeiro da entidade, Marcos Aurélio Litz. A carteira de investimentos do principal plano da fundação, com patrimônio de R$ 5 milhões, atingiu rentabilidade equivalente a 377% do seu benchmark, que é CDI mais 1%.
A renda fixa, que absorvia 95% dos ativos totais da entidade no início do ano passado, começou a ser drenada para que os recursos fossem canalizados para outras classes de ativos, a começar pela renda variável, e no final de dezembro já havia recuado para 81% dos ativos. “A intenção é fazer com que a renda fixa caia até 45% ou 50% do total”, conta Litz.
Ao mesmo tempo, a renda variável subiu de 5,48% no início de 2020 para uma parcela de 18,47% no fechamento do ano e deve ficar em torno de 20% em 2021. A carteira de operações com participantes e os fundos multimercados estruturados devem absorver, cada um, 5% dos ativos e os fundos no exterior responderão por uma fatia de 10% do total.
“Havia um grande desafio de mudar a carteira para diversificar em meio a um cenário de fortes incertezas mas a estrutura que montamos permitiu isso; a descorrelação deu resultado e nos garante que será viável replicar esse modelo inclusive para os novos planos que a fundação pretende aprovar junto aos municípios este ano”, diz Litz.

 

Rentabilidade de 2020 da Forluz é positiva nos três planos

A Forluz, fundo de pensão dos funcionários da Cemig, encerrou o ano de 2020 com retornos positivos em seus três planos, alcançando 10,44% de rentabilidade no Plano A (saldado) e 9,05% e 7,55%, respectivamente, nos Planos B e Taesaprev, ambos de contribuição variável.
O Plano A, por ser saldado, não tem perfil de investimentos. Já no Plano B, o perfil Ultraconservador rendeu 10,13%; o Conservador 9,59%; o Moderado 8,57%; e o Agressivo 6,02%. No Taesaprev, o perfil Ultraconservador rendeu 7,24%; o Conservador 7,43%; o Moderado 7,60%; e o Agressivo 7,31%.
Em dezembro do ano passado a carteira total de investimento da Forluz era de R$ 17,42 bilhões, dos quais R$ 6,25 bilhões (35,88%) compõem os ativos do Plano A, outros R$ 11,12 bilhões (63,80%) os ativos do Plano B e R$ 54 milhões (0,31%) os ativos da TaesaPrev.

Fusesc bate meta atuarial em seus três planos

A Fusesc, fundo de pensão dos funcionários da Badesc, Bescor, Codesc e Banco do Brasil, conseguiu bater as metas atuariais de seus três planos em 2020. No Plano Benefícios I, com meta atuarial de 9,90% no ano passado, a rentabilidade acumulada foi de 10,86% no mesmo período; no Multifuturo I, com meta de 9,67%, a rentabilidade foi de 10,06%; e no Multifuturo II, com meta de 9,67%, a rentabilidade foi de 9,83%.
O Plano Benefícios I possuía ao final do ano passado reservas de investimento de R$ 703 milhões, com 76,93% alocado em renda fixa, 6,85% em renda variável, 5,36% em estruturados, 8,72% em investimentos imobiliários e 2,14% em empréstimos ao participante.
O Multifuturo I contava com R$ 1,39 bilhões em investimentos ao final de 2020, sendo 64,87% em renda fixa, 9,67% em renda variável, 14,98% em estruturados, 7,03% em investimentos imobiliários e 3,45% em empréstimos ao participante.
Já o Multifuturo II tinha R$ 308 milhões em investimentos ao final de 2020, sendo 66,87% em renda fixa, 9,91% em renda variável, 15,10% em estruturados, 5,36% em investimentos imobiliários e 2,76% em empréstimos ao participante.

Plano da Funpresp-Jud rentabiliza 8,81% no ano

O Plano de Benefícios JusMP-Prev, da Funpresp-Jud, apresentou retorno de 8,81% no acumulado de 2020, ligeiramente abaixo da meta de 8,84% para o período. A rentabilidade de dezembro foi de 3,23%, superando o benchmark do mês que ficou em 1,71%. O resultado de dezembro foi o melhor resultado mensal do plano desde seu início.
O plano conta com 75,5% dos recursos alocados em Renda Fixa, 12,4% em Renda Variável, 4% em Estruturados (Multimercados) e 8,2% em Exterior.

Plano CD da Reckittprev rendeu 5,95% em 2020

O plano de Contribuição Definida da Reckittprev, fundo de pensão dos funcionários da Reckitt Benckiser no Brasil, rendeu 5,95% no acumulado dos doze meses de 2020, contra 6,17% da poupança, 2,76% do CDI e 11,30% da Meta Atuarial. No mês de dezembro, a rentabilidade do plano ficou em 2,85%.

Plano família da Fusan atinge R$ 6 milhões em patrimônio

A Fusan, fundo de pensão dos funcionários da Companhia de Saneamento do Paraná (Sanepar), comemora a marca de R$ 6 milhões em patrimônio conquistada pelo Viva Mais Previdência, seu plano família lançado no início do ano passado. Segundo a entidade, o plano já conta com aproximadamente 700 participantes.