Mainnav

SCPrev vai oferecer novo plano a municípios catarinenses

A SCPrev, o fundo de pensão dos servidores de Santa Catarina, pretende submeter ainda neste mês à Superintendência Nacional de Previdência Complementar (Previc) o regulamento de seu segundo plano de complementação de aposentadorias. O público-alvo serão os cerca de 70 municípios catarinenses com regimes próprios de previdência social de servidores públicos (RPPS), que terão de oferecer a previdência complementar aos funcionários com vencimentos superiores ao teto de benefícios da previdência social até novembro do próximo ano, como estabelece a Emenda Constitucional 103/2019.
Em operação desde fevereiro de 2017, a entidade contabilizava 596 participantes em dezembro último. O patrimônio de cobertura do Plano SCPrev somava, na mesma data, R$ 12,45 milhões, 154,08% a mais do que o montante registrado em janeiro de 2019.

Postalis elege cinco novos integrantes de seus conselhos

O conselho deliberativo do Postalis, o fundo de pensão dos funcionários dos Correios, ratificou no início deste mês o resultado das eleições realizadas entre 13 e 21 de julho para a renovação parcial dos conselhos da casa. Na disputa das três vagas para o conselho deliberativo, as vencedoras foram as chapas “O Postalis é nosso”, dos candidatos Edgard de Aguiar Cordeiro (titular) e José Roberto da Silva Romão (suplente), “Coragem e Competência”, de Caio Flávio Félix de Oliveira (titular) e José Aparecido Rufino (suplente), e “Fazer uma Administração com Lisura e Serviço aos Participantes”, de Marcos Antônio Sant´aguida do Nascimento (titular) e Wagner de Oliveira Pestana (suplente), com 4.986, 4,681 e 4.284 votos respectivamente. As duas vagas no conselho fiscal da entidade serão preenchidas pelas chapas “Compromisso com transparência!”, de Fábio Geraldo Oliveira Conde (titular) e Débora Adriana Nunes Henrique (suplente) e “Transparência e Qualidade”, dos candidatos Anézio Rodrigues (titular) e Hélio Geraldo de Rezende (suplente), que receberam 4.871 e 4.205 votos, pela ordem.
Os novos conselheiros do Postalis devem tomar posse no próximo dia 20, em cerimônia online que será realizada por videoconferência pela plataforma MEET Google. No total, 8.417 participantes, 7,19% do total, participaram do processo eleitoral.

 

Família Previdência só retomará rotinas presenciais em 2021

A Fundação Família Previdência, nova denominação da Fundação CEEE, liberou seus funcionários para permanecerem em home office até 31 de dezembro, independentemente da evolução da quarentena e de medidas de flexibilização do modelo de distanciamento social implantado no Rio Grande do Sul em razão da pandemia da Covid-19. Da mesma forma, o atendimento presencial na sede da entidade, em Porto Alegre, permanecerá suspenso até o fim do ano.
Alguns poucos funcionários voltaram a trabalhar na sede da fundação, que foi adaptada, com a instalação de dispensers de álcool gel em todos os andares. Medidas de distanciamento social e de higienização periódica dos espaços de trabalho também foram adotadas para reduzir os riscos de contaminação pelo novo coronavírus. “Nosso modelo de home office funciona bem e, possivelmente, adotaremos essa prática de forma permanente para algumas atividades a partir de 2021”, comenta o presidente Rodrigo Sisnandes Pereira.

Funpresp-Exe cresce 2,70% em julho e já acumula ganho de 2,62% no ano

A Funpresp-Exe, o fundo de pensão dos servidores do Executivo e do Legistativo federais, alcançou em julho uma rentabilidade de 2,70%, superando em 1,86 ponto percentual o seu índice de referência para o período. Foi o quarto mês de crescimento consecutivo depois da queda de 4,28% registrada em março, desempenho que elevou para 2,62% o ganho acumulado nos sete primeiros meses do ano, 0,31 ponto percentual abaixo do índice de referência para o intervalo.
"Continuamos diversificando o portfólio com ativos financeiros de maior risco, como ações e investimentos no exterior, em linha com o planejamento financeiro do ano”, comentou o diretor-presidente Ricardo Pena, que destacou a recente ampliação das opções para o público atendido pela entidade. “Implantamos com sucesso os perfis de investimentos, que oferecem a possibilidade de escolha para os participantes serem protagonistas na formação da sua reserva previdenciária."
Com R$ 3 bilhões de patrimônio líquido, a entidade opera com duas carteiras, Preservação e Performance, com maior e menor aderência ao índice de referência dos planos ExecPrev e LegisPrev (IPCA + 4% ao ano). Ambas apresentaram retornos expressivos em julho: 2,34% e 3,65%, respectivamente.

Petrobras paga R$ 950 milhões à Petros pelo FIP Sondas

A Petrobras efetuou na última segunda-feira (10/08) o pagamento da totalidade do acordo firmado com a Petros, no valor de R$ 950 milhões, que encerrou a arbitragem envolvendo o Fundo de Investimento em Participações (FIP) Sondas, criado para investir na empresa Sete Brasil e do qual a fundação tornou-se cotista, por sugestão da patrocinadora. O montante, que poderia ser desembolsado pela Petrobras até dezembro do próximo ano, será incorporado ao patrimônio dos planos PPSP-R, do PPSP-NR e do PP-2, nos quais o ativo estava alocado.
Realizado em 2011, o investimento da Petros no FIP Sondas, que somou R$ 1,38 bilhão, foi alvo de investigação no âmbito da Operação Greenfield, deflagrada pela Polícia Federal e o Ministério Público Federal em setembro de 2016. A entidade passou a deter uma participação de 17,6% no FIP, responsável, no exercício de 2016, por uma perda de R$ 1,56 bilhão ao plano PPSP, que seria cindido em abril de 2018, dando origem ao PPSP-R e ao PPSP-NR.
Os R$ 950 milhões pagos pela Petrobras colocam um ponto final em um processo iniciado há três anos, com a abertura de processo de arbitragem no Centro de Arbitragem e Mediação da Câmara de Comércio Brasil-Canadá. A diretoria da Petros informou que “vem investigando e ajuizando ações contra todos aqueles que, após diligente e independente análise, entenda ter causado danos à fundação”. Em paralelo, a entidade tem estudado a possibilidade de acordos e arbitragens nesses processos, apostando em maiores ressarcimentos.

CuritibaPrev anuncia plano CD para servidores mais antigos

A CuritibaPrev programa para este mês o lançamento de seu segundo plano de complementação de aposentadorias para os servidores públicos da capital paranaense, o Plan 2. O produto, que recebeu a chancela da Superintendência Nacional de Previdência Complementar (Previc) em dezembro do último ano, será voltado aos servidores nomeados antes de 26 de setembro de 2017. Vereadores e funcionários públicos com cargos em comissão também poderão aderir ao plano, mas não contarão com contribuições do município para a formação de suas poupanças previdenciárias.
Estruturado na modalidade de Contribuição Definida (CD), o Plan 2 demandará dos participantes contribuições normais básicas de pelo menos 1% da remuneração total em suas duas opções, Migrante e Não Migrante. As contrapartidas do município serão realizadas sobre as contribuições normais suplementares, previstas apenas na versão Migrante, tendo como limites mínimo e máximo valores equivalentes a 3,5% e 7,5% da diferença entre os salários dos servidores e o teto de benefícios da previdência social.
Em operação há dois anos, a CuritibaPrev administra o Plan 1, exclusivo para servidores contratados após 26 de setembro de 2017. Também para este mês, a entidade prepara os lançamentos de seus dois primeiros produtos instituídos, o Plano de Benefícios Setorial CuritibaPrev Família e o Plano CuritibaPrev Família II. O primeiro, que terá como instituidor o fundo setorial da Associação Brasileira das Entidades Fechadas de Previdência Complementar (Abrapp), será voltado aos dependentes e parentes até o quinto grau dos participantes dos planos patrocinados da casa. Já o Família II terá como público-alvo familiares até o quinto grau de filiados a associações e sindicatos, caso da Associação dos Aposentados da Prefeitura de Curitiba (AAPC), que se tornou a primeira instituidora do plano.

Patrimônio da Funpresp-Jud alcança a marca de R$ 1 bilhão

A Funpresp-Jud, o fundo de pensão dos servidores do Judiciário e do Ministério Público federais, encerrou o mês de julho com R$ 1 bilhão de patrimônio total gerido. O montante corresponde aos recursos do Plano JusMP-Prev, de Contribuição Definida (CD), e do Plano de Gestão Administrativa (PGA). Ainda em julho, a entidade alcançou a marca de 20 mil participantes, dos quais mais de 400 aderiram ao plano de benefícios neste ano.
“Outra boa notícia é a acelerada recuperação da rentabilidade dos investimentos da fundação após as quedas verificadas em fevereiro e março deste ano", comenta o diretor de investimentos Ronnie Gonzaga Tavares. "Ao final de junho, a carteira de investimentos do plano de benefícios já havia retornado a patamar positivo de rentabilidade no ano e agora, no encerramento de julho, já se encontra acima do benchmark para o período, o que nos dá maior probabilidade para alcançarmos a meta do ano, de IPCA mais 4,15%."
A Fundação entrou em operação em outubro de 2013 e, desde então, a maior parte das adesões ocorreu em razão das janelas de migração para o Regime Próprio de Previdência Social (RPPS) limitado ao teto do Regime Geral (RGPS), com a possibilidade de adesão ao Regime de Previdência Complementar (RPC) dos servidores. Do total de participantes, 84,02% correspondem a servidores vinculados à Justiça Trabalhista (6.973), ao Ministério Público da União (3.542), à Justiça Federal (3.542) e à Justiça Eleitoral (2.262).

Fapes programa lançamento de plano familiar para 2021

A Fapes, o fundo de pensão dos funcionários do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), programa para o primeiro semestre de 2021 o lançamento do Plano Fapes Família, cujo regulamento foi sancionado pela Superintendência Nacional de Previdência Complementar (Previc) na última segunda-feira (03/08). A intenção original de apresentar o produto em meados deste ano teve de ser revista em razão das dificuldades causadas pela pandemia da Covid-19 ao desenvolvimento do sistema de processamento de dados do novo produto.
O Fapes Família, que terá como instituidora a própria entidade, oferecerá perfis de investimento e benefícios por invalidez e pensão por morte. Além disso, seus participantes poderão escolher quando, como e por quanto tempo receberão seus benefícios de aposentadoria. O produto oferecerá taxa de carregamento zero e, segundo a Fapes, taxa de administração inferior à média do mercado de previdência complementar aberta.
A expectativa da entidade é obter a adesão de pelo menos 10% dos 5 mil participantes atuais dos seus planos patrocinados no primeiro ano operação do novo produto. Com base na receptividade ao Fapes Família, a fundação poderá lançar, a médio prazo, novos produtos, tanto de previdência como de saúde, para os participantes e seus familiares.

CuritibaPrev prepara dois novos planos familiares

A CuritibaPrev, o fundo de pensão dos servidores públicos da capital paranaense, prepara para este mês os lançamentos de dois novos produtos, o Plano de Benefícios Setorial CuritibaPrev Família e o Plano CuritibaPrev Família II, chancelados pela Superintendência Nacional de Previdência Complementar (Previc) em outubro e fevereiro últimos, respectivamente. O primeiro, que terá como instituidor o fundo setorial da Associação Brasileira das Entidades Fechadas de Previdência Complementar (Abrapp), será voltado aos dependentes e parentes até o quinto grau dos participantes dos planos patrocinados administrados pela entidade. Já o Família II terá como público-alvo familiares até o quinto grau de filiados a associações e sindicatos, caso da Associação dos Aposentados da Prefeitura de Curitiba (AAPC), que se tornou a primeira instituidora do plano.

Novo nome na diretoria de investimentos do Postalis

O economista Pedro Antonio Estrella Pedrosa assumiu em 24 de julho o comando da diretoria de investimentos do Postalis, o fundo de pensão dos funcionários dos Correios. Alexandre Dias Miguel, que vinha ocupando o posto interinamente, volta a responder pela gerência de governança de investimentos da entidade.
Graduado pela Universidade de Brasília (UnB), com mestrado em economia e previdência pela mesma instituição e pós-graduação em finanças e mercado de capitais pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), Pedrosa, que cumprirá um mandato de quatro anos no Postalis, é funcionário de carreira da Caixa Econômica Federal (CEF). Ao longo de sua trajetória, o executivo atuou como gerente nacional de gestão de ativos e passivos da CEF, diretor de gestão de fundos e benefícios do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) e, mais recentemente, como diretor de finanças e de relações com investidores do Banco de Brasília (BRB), e diretor de pessoas, administração, tecnologia e finanças do BRBCard.