Mainnav

Schroders defende aumento do limite de exterior da Resolução 4661

Daniel Celano, presidente da Schroders no Brasil
Daniel Celano, presidente da Schroders no Brasil

A Schroders, com R$ 23,5 bilhões sob gestão em dezembro passado segundo o ranking Top Asset, é mais uma gestora a defender o aumento do limite legal de investimentos no exterior dos fundos de pensão, hoje no máximo de 10% segundo a Resolução CMN 4.661. Para o diretor presidente da casa no Brasil, Daniel Celano, a expectativa é que esse teto seja elevado para 20%. “Há grandes fundações que já estão perto dos 10% e outras que ainda não têm nada investido lá fora, mas acreditamos que as alocações em exterior continuarão crescendo”, analisa Cela

O que falaram Buffett e Munger na reunião de Berkshire Hathaway

Warren Buffett e Charles Munger
Warren Buffett e Charles Munger

A assembléia do grupo Berkshire Hathaway, realizada de forma virtual no último sábado (1º de maio) em Los Angeles, foi assistida por milhares de investidores do mundo todo, interessados nas análises e opiniões dos dois principais executivos e controladores da holding, Warren Buffett e seu sócio Charlie Munger, sobre mercados, empresas e tendências de investimentos.

Chevon - Sobre a Chevron, na qual a Berkshire Hathaway tem US$ 4,1 bilhões investidos, Buffett disse que "não é uma empresa do mal e não tenho vergonha de

Szapiro assume comando da operação brasileira do Softbank

O grupo de investimentos japonês SoftBank contratou Alex Szapiro para atuar como head da operação brasileira. Com mais de 25 anos de atuação nos setores de varejo eletrônico e tecnologia, Szapiro atuou como country manager Brazil na Amazon nos últimos oito anos e meio. Anteriormente, exerceu funções executivas nas operações locais da Apple (5 anos), Palm (5 anos), Submarino (1 ano), Motorola (3 anos) e Citi (3 anos).
O SoftBank é um grupo de investimentos global de US$ 200 bilhões em investimentos, com cerca de US$ 2,5 bilhões investido

BNDES aporta R$ 450 milhões em FIDC PME da SRM

O FIDC SRM Exodus PME receberá um aporte de R$ 450 milhões do BNDES, além de outros R$ 25 milhões da SRM Asset e mais R$ 25 milhões do Fundo Verde, para atuar como veículo de concessão de crédito a micros, pequenas e médias empresas durante a crise econômica da Covid-19.
As operações serão feitas através da plataforma eletrônica de financiamento da TrustHub, fintech do grupo SRM. A expectativa da gestora é de atingir mais de 15 mil empresas em todo o território nacional, realizando 36 mil operações de crédito com um valor médio de R$ 25

Minardi é reconduzido para novo mandato de dois anos na Abvcap

Minardi Piero, eleito presidente da Abvcap para segundo mandato
Minardi Piero, eleito presidente da Abvcap para segundo mandato

A Abvcap, associação que representa os gestores de private equity e venture capital, reconduziu o atual presidente, Piero Minardi, para um novo mandato de dois anos. O primeiro mandato de Minardi, que deveria ter acabado no ano passado mas foi estendido em mais um ano devido ao surgimento da Covid-19, acabou durando excepcionalmente três anos. Junto com ele assumem os vice-presidentes Francisco Sanches Neto, da Lions Trust, e Anderson Tees, da Redpoint Eventures.
Minardi, que é executivo da Warburg Pincus, resume em três pontos

Luciano Magalhães torna-se sócio da 4UM

O diretor comercial, produtos e relacionamento da 4UM Investimentos, Luciano Magalhães, é desde fevereiro último sócio da gestora paranaense. Ele está na instituição desde o início de 2017, quando deixou a SulAmérica Investimentos para assumir o comando comercial da casa, com R$ 5,07 bilhões sob gestão na posição de dezembro de 2020 segundo o ranking Top Asset publicado por Investidor Institucional. “Mas, no momento, já estamos nos aproximando dos R$ 6 bilhões”, garante Magalhães.
Com 35 anos de experiência na área de investimentos, a m

Além de fundos florestais, nova área da XP foca em agro e carbono

Bruno Castro, CEO da XP Asset
Bruno Castro, CEO da XP Asset

Com a incorporação do portfolio manager Cleidson Rangel, que veio do Hancock Natural Resource Group no Brasil, a XP Asset inaugurou uma célula de investimentos em ativos ligados a recursos naturais que, além do fundo florestal anunciado no início desse mês, quer entrar também em fundos de terras agrícolas e de controle de emissão de carbono. O fundo florestal, a ser lançado até o final deste semestre, é o que recebe no momento toda a atenção e os outros dois produtos devem ficar para depois, explica o CEO da XP Asset, Bruno Castro, sem dar m

Safra compra operações do Crédit Agricole no Brasil

O Banco Safra assinou acordo para a compra das operações do Crédit Agricole no Brasil, incluindo a asset e o private bank. O acordo foi assinado na última sexta-feira (23/04). "Essa aquisição mostra a nossa vocação para o segmento, nossa disposição de sempre buscar novos negócios com vistas à expansão de nossas operações", disse Silvio de Carvalho, presidente do Safra. Segundo ele, o banco irá incorporar os clientes às suas plataformas de forma imediata.
A iniciativa de buscar um comprador para as operações de private banking no Brasil

Bram lança novos fundos com estratégias de gestores globais

Roberto Paris, diretor executivo da Bram
Roberto Paris, diretor executivo da Bram

A Bram (Bradesco Asset Management) lançou uma nova leva de fundos internacionais, trazendo vários gestores internacionais com pouca visibilidade no mercado doméstico. Além de nomes conhecidos como JP Morgan e Aberdeen, as estratégias incluem também Ninety-One, Bridgewater, Wells Fargo e Marshall Wace.
“Vivemos um momento de ajuste da economia mundial. Os novos fundos internacionais (da Bram) nascem dentro deste contexto para proporcionar oportunidades diferenciadas a partir do acesso a mercados externos”, destaca o diretor executivo da

Itaú quer maior exposição internacional na prateleira de fundos

Carlos Augusto Salamonde, CEO da Itaú Asset
Carlos Augusto Salamonde, CEO da Itaú Asset

A prateleira de ativos com exposição internacional na Itaú Asset Management será ampliada este ano, com o lançamento de novos fundos voltados a temas específicos. Na prancheta, está o desenho de um fundo temático que irá alocar exclusivamente em ativos de empresas que sejam consideradas melhor preparadas para enfrentar a transformação climática. O produto entrará no nicho dos investimentos sustentáveis (ESG). O objetivo, informa o CEO da asset, Carlos Augusto Salamonde, é ampliar a grade ESG nos diversos aspectos que se encaixam nos critério