Mainnav

"É preciso ajustar os cálculos atuariais" Para o ministro Waldeck Ornellas, as novas regras da SPC visam garantir a estabilidade de longo prazo

Edição 92

Waldeck Ornellas, Ministro da Previdência Social

O Ministro da Previdência Social, Waldeck Ornellas, considera que as mudanças que estão ocorrendo na área de previdência complementar são necessárias e urgentes, para evitar que alguns fundos de pensão cheguem à insolvência e não tenham recursos no futuro para saldar os compromissos de pagamento de aposentadoria aos participantes. De onde vem esse receio de Ornellas? Exatamente da queda da taxa de juros, que dá ao ministro a sensação de que muito

"Estamos olhando alguns anos à frente"

Edição 91

Solange Paiva Vieira, da SPC

À frente da Secretaria de Previdência Complementar (SPC) desde o final do ano passado, a economista Solange Paiva Vieira conseguiu, em pouco tempo, tornar-se uma figura central do noticiário das revistas de economia e dos suplementos econômicos dos jornais. A fórmula? Jovem, bonita e disposta a investir contra as práticas de alguns dos fundos de pensão, ela passou a ser saudada pela mídia como a musa da previdência complementar. Aos 31 anos, depois de passar pelo BN

"Limite causará desemprego" Para o presidente da Abrapp, Carlos Duarte Caldas, a adoção de um limite mínimo para aposentadoria dos participantes de fundos de pensão resultará em desemprego

Edição 90

Carlos Duarte Caldas, da Abrapp

A última reunião do Conselho de Gestão da Previdência Complementar, ocorrida no dia 20 de dezembro, aprovou uma medida polêmica, que estabelece um limite mínimo de idade para aposentadoria dos participantes dos fundos de pensão. Segundo essa nova regra, a idade mínima de aposentadoria passa a ser de 60 anos para participantes de planos CD e de 65 anos para participantes de planos BD. Para o presidente da Associação Brasileira das Entidades Fechadas de Previdência Priv

Argentina prepara mudança nos fundos de pensão Fundos de pensão privados serão obrigatórios para todos os trabalhadores que ingressarem no mercado após a nova lei

Edição 89

Francisco Astelarra, da Superintendência de las Administradoras de Jubilaciones e Pensiones

O governo argentino apresentou, recentemente, ao legislativo uma proposta de mudança da legislação da previdência social, obrigando todo trabalhador que ingresse no mercado de trabalho a fazer parte do sistema de fundos de pensão privado. Os velhos podem optar por continuar no regime antigo. A seguir, apresentamos os principais trechos de uma entrevista que Investidor Institucional fez com o titular da S

"Taxação é contraditória com o que dizia o governo" Para técnico do IPEA, taxar os fundos de pensão no momento da acumulação irá representar um desestímulo

Edição 88

Francisco de Oliveira, pesquisador do IPEA

Para o pesquisador Francisco de Oliveira, um dos mais renomados técnicos de previdência no Brasil, a intenção do governo de taxar as aplicações dos fundos de pensão repete a história do homem que come as sementes para aplacar a fome momentânea, ao invés de plantá-las para esperar que brotem, cresçam e dêem frutos saborosos. Pesquisador do IPEA há 20 anos, Oliveira faz questão de ressaltar que suas posições refletem unicamente opiniões pessoais. Não é p

Os gastadores voltaram Para o líder do governo na Câmara, os "gastadores" não percebem que o equilíbrio das contas públicas, conseguido com muito sacrifício, ainda é frágil

Edição 87

Arnaldo Madeira, deputado

O deputado Arnaldo Madeira (PSDB-SP), líder do governo na Câmara, considera que o crescimento da economia traz de volta à ribalta “os gastadores”. São os que primeiro autorizam 1as despesas para depois buscar as fontes de financiamento. Entre outras coisas, eles estão pleiteando agora um aumento para o salário mínimo, mas financiado com recursos da tributação dos investimentos dos fundos de pensão. “Eles não percebem que alguns atos equivocados com relação a essa área de at

"Privatizamos sem um projeto"

Edição 86

Luiz Gonzaga Belluzzo,  professor de economia da Unicamp

Os resultados do primeiro turno das eleições municipais configuram um cenário político totalmente novo para o país em comparação com os pleitos de 1996 e 1998. O professor de economia da Unicamp, Luiz Gonzaga Belluzzo, avalia que as recentes eleições refletiram, pela primeira vez desde a posse de Fernando Henrique Cardoso, a insatisfação popular com a política econômica do governo federal.
Ex-secretário de Ciência e Tecnologia do gov

Revendo os critérios da 2.720 Presidente da CVM diz que novos critérios da Resolução 2.720 deverão induzir as fundações a investir em empresas com boas práticas de governança corporativa

Edição 85

José Luiz Osório, da CVM

Quando assumiu a presidência da Comissão de Valores Mobiliários, no final do ano passado, o engenheiro civil José Luiz Osório resolveu enfrentar três desafios principais: proteger o acionista minoritário, incentivar a cultura da governança corporativa e participar ativamente da elaboração da nova Lei das S/As. Antes de completar um ano à frente do órgão, o ex-diretor de privatização do BNDES e ex-executivo de bancos como o Icatu, Garantia, Chase e BankBoston começa a concret

Para Bacha, inflação elevada foi pontual e já passou Com um currículo que inclui a participação na elaboração de dois planos econômicos de estabilização, um deles o Real que está em vigor e conseguiu fazer a taxa de inflação anual baixar para a casa de

Edição 84

Edmar Bacha, da Anbid

Um dos criadores do Banco BBA, o economista Edmar Bacha, foi eleito no dia 22 de agosto para dirigir a Anbid por um período de três anos, em substituição a Pedro Henrique Mariane. Do currículo de Bacha faz parte uma profunda ligação com a política econômica em vigor, que ajudou a criar juntamente com Pérsio Arida e André Lara Resende. Anteriormente ao Plano Real, ele já havia participado da criação do Plano Cruzado, uma tentativa do governo de José Sarney de debelar a inflação

Municípios precisam de fundos blindados

Edição 83

Luis Carlos Trabuco Cappi, Anapp

Para o presidente da Associação Nacional das Entidades Abertas de Previdência Privada (Anapp), Luis Carlos Trabuco Cappi, o Brasil encontrou a trilha da poupança previdenciária. Em primeiro lugar porque as pessoas se conscientizaram que devem, elas próprias, preparar suas aposentadorias através de planos privados; em segundo porque o fator atuarial está conseguindo atrasar o momento da aposentadoria pública e rebaixar os desembolsos; e em terceiro porque os novo