Mainnav

O dia em que a casa caiu Intervenção no Banco Santos pega diretoria de surpresa e levanta dúvidas sobre o grau de concentração de algumas fundações; houve quem entrasse na véspera

Edição 152

A intervenção do Banco Central (BC) no Banco Santos, ocorrida no final do dia 12 de novembro, pegou quase todos os funcionários da instituição de surpresa. Eles jamais poderiam supor que enquanto trabalhavam duro, captando recursos para a instituição, sob seus próprios pés se cavava um enorme buraco cuja extensão exata ninguém sabe ainda. As estimativas, até o momento, são de um rombo de R$ 100 milhões no patrimônio do Santos, além dos cerca de R$ 600 milhões que a instituição precisaria com urgência para

A hora e a vez do real Empresas com emissões em moeda estrangeira liquidam operações, fogem do hedge e já começam a olhar com atenção para as condições oferecidas pelo mercado interno

Edição 149

A captação privada no mercado interno começa a sair da marcha lenta em que caminhou durante todo o ano de 2003 e promete ultrapassar as emissões em moeda estrangeira. Grande parte das empresas que têm vencimento em dólar até o final deste ano pretende liquidar integralmente essas operações e só voltar a se financiar se for em real – à exceção das companhias com o chamado hedge (proteção) natural, como ocorre com as exportadoras.
A Telesp Celular Participações (TCP) é um exemplo dessa inversão no endiv

Tecnologi@ em venture capital Multinacional oferece soluções em TI para integrar empresas e investidores de risco

Edição 149

Claudia Fan Munce, diretora do Venture Capital Group (VCG) da IBM, esteve no Brasil entre os dias 8 e 11 de agosto onde reuniu-se com empresas em início de operações. O encontro não foi aberto à imprensa, mas a Revista Investidor Institucional foi recebida posteriormente por Claudia, com exclusividade, para debater os planos da multinacional para o mercado de fundos de venture capital – que assumem o risco de injetar recursos em empresas iniciantes visando obter, lá na frente, elevados retornos.
De ol

Atrás do tempo perdido Grupo de corretoras independentes busca pequenas e médias empresas para lançarem ações. Bovespa estuda formas de facilitar acesso de companhias de menor porte

Edição 144

No ano passado, o foco era atrair a pessoa física para o pregão, aumentando a base de investidores em ações. Missão cumprida: a participação do investidor individual passou de 10% para quase 30% no total de negócios da Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa). O que falta agora é ter ações suficientes para oferecer a esses novos participantes. “Chegamos a um ponto em que há pessoas interessadas em comprar ações, mas não temos papéis para oferecer, além daquela meia dúzia que já conhecemos”, diz o sócio da c