Mainnav

Icap começa a atuar como corretora no Brasil

Edição 202

A Icap do Brasil CTVM Ltda, subsidiária nacional da inglesa Icap, a maior corretora de valores do mundo, iniciada no último dia 6 de abril suas atividades como corretora de valores nos mercados de ações e renda fixa da Bolsa (Bovespa Fix e Soma Fix) . Segundo comuni

Quando 2 e 2 somam realmente 4 Gestoras de Santander e Real têm só duas sobreposições em seus 40 clientes institucionais

Edição 201

Na regra das fusões & aquisições, nem sempre dois mais dois são quatro.
O resultado pode acabar sendo inferior a esse número, dependendo de como as empresas promovem a integração dos negócios. Nesse contexto, a junção das gestoras ABN Amro Real e Santander ocorreu sem deixar cadáveres pelo caminho – ao menos no que se refere a investidores qualificados. Dos 40 i

Quem ri por último... Western Asset mantém posições em títulos prefixados durante a pior fase da volatilidade, e vira o jogo de um ano turbulento graças a ajustes de preços ocorridos em novembro e dezembro

Edição 201

 

Se fosse uma partida de futebol, o time teria vencido com um gol marcado aos 45 do segundo tempo. A torcida passaria boa parte do jogo pedindo ao técnico para alterar a tática, mas ele mantém o esquema. No final das contas, o placar mostraria que a estratégia estava certa. Foi mais ou menos isso que aconteceu com a gestão de renda fixa da Western Asset no ano passado. A partir de abril, a aposta foi aumentar a ex

Custódia do Deutsche tem novo produto Estratégia de crescimento da área está baseada no lançamento de novos serviços e na abertura de operação em mais países

Edição 201

O Deutsche Bank Brasil está prestes a lançar o serviço de custódia de ativos no exterior para custodiantes de fundos de investimentos locais. “Desenvolvemos um conduite para o investimento, que acreditamos ter um custo razoável, e em cerca de um ou dois meses estaremos lançando o serviço para o mercado”, explica Ricardo Nascimento, diretor de custódia do banco no Brasil. Segundo ele, um dos principais problemas da operação fina

Longe da euforia do passado Escolada com a crise dos anos 80, quando foi obrigada a pedir concordata, Randon foi cautelosa durante 2008

Edição 201 

No começo de 2008, quando os mercados ligados à área de transporte e autopeças estavam a todo vapor e o dinheiro entrava fácil no caixa da Randon, o fundador do grupo reuniu os filhos e os administradores para jogar um balde de água fria naqueles que porventura estivessem cogitando sugerir novos investimentos. “Vamos com calma minha gente, esse tal de subprime ainda pode trazer muitas surpresas”, avisou o octogenário Raul

Bradesco entra para o quadro de gestoras do Rioprevidência

Edição 201

ORioprevidência realizou, no mês passado, o segundo processo de seleção de gestores, que credenciou o Bradesco para gerir, junto com Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal, Itaú e UBS Pactual, os aproximadamente R$ 1,3 bilhão que o regime tem disponível para investimento em fundos referenciados de renda fixa. Dessa forma, deixa o quadro de gestores do instituto o BNP Paribas. Segundo Antonio Paulo Vogel de Medeiros, diretor de investimentos do instituto, as assets são avaliadas mensalmente e a cada semes

BB assume ativos geridos pelo Banco do Pará

Edição 201

Desde 2 de janeiro, a BB DTVM passou a responder pela administração e gestão dos recursos que antes ficavam sob os cuidados do Banco do Estado do Pará (BanPará). Carlos Gondim, assessor da diretoria executiva da instituição paraense, explica que as atividades de gestão e administração de recursos de terceiros eram muito onerosas para o banco, que é de pequeno porte e tem uma carteira de clientes muito vinculada ao funcionalismo público do estado. "Diante de determinados es

BB e superávit da Previ voltam à pauta

Edição 201

 

A polêmica sobre devolução de valores excedentes a patrocinadoras continua ecoando no sistema de fundos de pensão. Em matéria publicada na edição de fevereiro (número 200), Investidor Institucional informou que três entidades haviam denunciado à Comissão de Valores Mobiliários (CVM) supostas irregularidades no balanço trimestral do Banco do Brasil referente aos últimos três meses de 2008. O texto da reportagem in

Institucionais voltam ao foco Mauá, Mapfre Investimentos e Société Générale planejam lançar produtos voltados aos fundos de pensão neste ano como forma de garantir mais investidores de longo prazo para suas carteiras

Edição 200

 

Os saques da indústria de fundos em 2008 foram um soco no estômago de muitas assets brasileiras, especialmente aquelas mais afeitas ao risco.
No total, R$ 78 bilhões saíram da indústria no ano passado, sendo R$ 56 bilhões dos fundos multimercados. Muitas dessas empresas – criadas durante os últimos cinco anos de bonança com o chamado “Kit Brasil”, ou seja, alta da Bolsa, queda dos juros e real forte – vão ter de sair do jogo ou se juntar a outras para se for

Ainda não foi dessa vez Liquidação do fundo da Gems encurta primeira experiência de três fundações em investimentos em multimercados com até 100% de aplicações no exterior

Edição 200

Os fundos de pensão mal sentiram o gosto de experimentar o investimento em um multimercado que pode ter até 100% de suas aplicações em ativos no exterior. Poucos meses após terem colocado os pés lá fora por meio do Fundo de Investimento Multimercado Gems Low Vol Longo Prazo – Investimento no Exterior, três fundações brasileiras (Derminas, Sabesprev e uma terceira que não teve seu nome descoberto pela reportagem) se viram diante da liquidação do fundo, após uma onda de saques so