Funpresp programa diversificação em ETFs

A diversificação segue em alta na Funpresp, o fundo de pensão dos servidores públicos federais. Depois de realizar uma licitação em duas etapas, em novembro e dezembro últimos, para a escolha de fundos de renda variável no Brasil e no exterior, além de veículos de renda fixa de curto e médio prazos, a entidade se prepara agora para iniciar as aplicações em fundos de índices, conhecidos como Exchange Traded Funds (ETFs). A tarefa ficará a cargo das três corretoras ou distribuidoras a serem credenciadas em uma nova licitação cujo edital deverá ser lançado no próximo mês. 

“O foco inicial dessa contratação é a negociação de ETFs, que, em conjunto com fundos de investimento contratados através dos pregões presenciais 6 e 7 de 2019, além de outros instrumentos aos quais a Funpresp já tem acesso, permitirão à fundação manter exposição em alguns dos segmentos de aplicação de recursos descritos nas suas políticas de investimentos para o período de 2020 a 2024, a saber, os segmentos de renda fixa, renda variável e exterior”, comenta o diretor de investimentos Tiago Dahdah. 

A entidade, segundo o executivo, não pretende realizar novas chamadas para o preenchimento das três vagas em aberto, de um total de 15, oferecidas no último bimestre de 2019, referentes a dois fundos de inflação longa e um de renda variável em moeda local. “No caso do grupo de renda variável local, julgamos que ambos os riscos estão controlados com a contratação dos dois fundos. Já em relação ao grupo de inflação longa, acreditamos que os riscos não são relevantes dada a possibilidade de alocação via carteira própria”, observa Dahdah.


Fundos de Pensão