Mainnav

Vivest obtém retorno de 14,3% em 2020, mas fica abaixo da meta

Jorge SiminoA Vivest, nova denominação da Fundação Cesp, registrou em 2020 rentabilidade nominal acumulada de 14,34%, o seu segundo melhor resultado em sete anos, atrás apenas dos 17,25% alcançados em 2019. Ainda assim, o retorno ficou bem abaixo da meta atuarial, que atingiu o patamar histórico de 30,81%.
‚ÄúA disparada do IGP-DI, indexador dos nossos planos de benef√≠cios, tornou a meta atuarial de 2020 um desafio sem precedentes, porque causou um forte descasamento entre nossos investimentos e o pagamento dos planos de benef√≠cio‚ÄĚ, comenta o diretor de Investimentos Jorge Simino J√ļnior. ‚ÄúPor essa raz√£o, mesmo com bons resultados conquistados, fechamos o ano com um cen√°rio deficit√°rio.‚ÄĚ
Depois de amargar um resultado consolidado negativo de 4,7% no primeiro trimestre, a entidade reagiu de forma consistente √† crise causada pela pandemia da Covid-19 j√° a partir de abril. Nos √ļltimos oito meses de 2020, por exemplo, os planos BSPS, BD e CV registraram ganhos de 20,6%, 18,9% e 16,45%, respectivamente. No resultado consolidado do ano, os segmentos de maior destaque foram os investimentos no exterior (32,3%), puxados pela alta de 29,3% da moeda norte-americana, seguidos dos ativos de renda vari√°vel, com alta de 8,27%. J√° os fundos imobili√°rios, impactados fortemente pela pandemia, tiveram queda de 13,28% em 2020.
O mercado acion√°rio dom√©stico, observa Simino, ganhou for√ßa no √ļltimo bimestre de 2020 em raz√£o de expressivos aportes de recursos estrangeiros, no valor aproximado de R$ 53 bilh√Ķes. ‚ÄúNos meses de novembro e dezembro, a recupera√ß√£o dos pre√ßos dos ativos no mundo todo, em fun√ß√£o do cen√°rio p√≥s-eleitoral dos Estados Unidos e da expectativa de retomada mais forte do crescimento econ√īmico mundial, favoreceu os mercados emergentes, entre eles o Brasil‚ÄĚ, diz ele.
O resultado deficit√°rio da Vivest em 2020, apesar do bom desempenho da carteira de investimentos, refor√ßa, na vis√£o do executivo, a necessidade da troca de indexador dos planos de benef√≠cios de IGP-DI para o IPCA, √≠ndice j√° adotado por todas as grandes entidades de previd√™ncia privada do pa√≠s. Essa discuss√£o ocorre na entidade j√° h√° alguns anos, tendo em vista que, em abril de 2021, ou seja, dentro de dois meses, vencem R$ 9,4 bilh√Ķes em t√≠tulos p√ļblicos da entidade indexados ao IGP-DI, que ter√£o que ser reinvestidos em t√≠tulos atrelados ao IPCA, j√° que o Tesouro Nacional n√£o emite mais t√≠tulos indexados aos IGP-DI.
‚ÄúIsso nos traz um desafio ainda maior porque vai agravar muito o descasamento entre ativos e passivos da entidade. Como temos alertado, a troca √© determinante para a sustentabilidade dos nossos planos‚ÄĚ, ressalta Simino.