Mainnav

Previsc eleva percentual de exterior na política de investimentos

Esch Ricardo2Atenta à necessidade de descorrelacionar uma parte de seus investimentos do que acontece no mercado doméstico, a Previsc decidiu preencher completamente a caixinha de alocação no exterior em sua política de investimentos para 2022. O percentual aplicado em fundos que investem globalmente passará dos 6% dos recursos totais da entidade para 9,5%, informa Ricardo Esch, diretor de investimentos.
O principal motivo dessa decis√£o vai al√©m da busca de mais rentabilidade, dando √™nfase sobretudo √† descorrela√ß√£o para equilibrar as carteiras. ‚ÄúSe olharmos para os primeiros dias deste ano j√° temos uma amostra da import√Ęncia desse movimento porque os mercados l√° fora foram muito bem enquanto aqui foi um inferno por conta de fatores internos‚ÄĚ, diz.
Com o cen√°rio local mais pessimista e o internacional melhor sob o ponto de vista do crescimento econ√īmico, aumenta a relev√Ęncia de desatrelar essas duas perspectivas, assim como o limite de 10% permitidos pela Resolu√ß√£o 4.661, que est√° em vigor para os fundos de pens√£o. ‚ÄúOs novos cen√°rios com os quais estamos convivendo exigem diversificar mais em investimentos que nos permitam melhorar rentabilidade e atingir metas; o exterior √© um segmento para o qual sempre olhamos com aten√ß√£o e ficou mais importante agora‚ÄĚ, afirma Esch.
A discuss√£o sobre a revis√£o da 4.661 nesse aspecto precisa ser retomada, aponta o diretor de investimentos da Previsc. Ele considera que seria razo√°vel elevar o limite para 20% num primeiro momento ‚Äúmas o regulador deve manter vig√≠lia constante sobre as regras para permitir que as funda√ß√Ķes possam buscar resultados equilibrados‚ÄĚ.
A Previsc, que administra uma carteira total de R$ 1,6 bilh√£o em ativos de 19 planos de benef√≠cios, investe no exterior por meio de fundos de quatro gestores ‚Äď tr√™s na classe de renda vari√°vel sem hedge cambial e um de renda fixa com hedge.