Mainnav

EFPCs tiveram retorno médio de 0,48% em janeiro, segundo Aditus

grafico 7Levantamento realizado pela consultoria de investimentos Aditus em janeiro último junto a um grupo de 134 Entidades Fechadas de Previdência Complementar (EFPC), apurou que o mesmo obteve uma rentabilidade média de 0,48% no mês e de 11,95% no acumulado de 12 meses. O grupo analisado pela consultoria possui 622 planos de benefícios e patrimônio consolidado de R$ 358 bilhões.
O resultado médio de janeiro ficou abaixo do atuarial do grupo, que é de INPC + 4,40% ao ano, na média, o que resulta em alvos de rentabilidade de 0,95% no mês e 8,33% no acumulado de 12 meses. “Os acontecimentos de janeiro, sobretudo do fechamento do mês, esfriaram um pouco os ânimos dos agentes de mercado. As perspectivas de que o FED poderia iniciar o ciclo de corte de juros nos Estados Unidos foram alteradas (...) indicando que faltam dados que possam proporcionar o nível de confiança adequado para fundamentar uma alteração da política monetária no curto prazo”, explica a consultoria em sua análise de conjuntura.
Dos 622 planos de benefícios do grupo, 191 são de Benefício Definido (BD) e fecharam com uma rentabilidade média de 0,76% em janeiro e de 11,86% em 12 meses. Outros 263 planos são de Contribuição Definida (CD) e fecharam com uma rentabilidade média de 0,45% no mês e de 12,35% em 12 meses. E 168 são de Contribuição Variável e fecharam com uma rentabilidade média de 0,27% no mês e de 11,51% em 12 meses. Os BDs representam 46% do patrimônio do grupo (R$ 166 bilhões), os CDs 27% (R$ 99 bilhões) e os CVs 26% (R$ 93 bilhões).
Em termos de classes de investimentos, 86,89% dos R$ 358 bilhões estão alocados em Renda Fixa e tiveram uma rentabilidade média de 0,84% em janeiro e de 12,56% no consolidado de 12 meses. Já a renda variável representa 6,48% do total e teve um retorno médio de -4,36% no mês e de 13,34% no consolidado de 12 meses. Investimentos estruturados representa 4,72% do total e retornou uma média de -0,01% no mês e de 6,12% no consolidado de 12 meses.
A classe investimentos no exterior representa 1,52% do total e teve rentabilidade média de 2,16% em janeiro e de 12,06% no consolidado de 12 meses, enquanto investimentos imobiliários representa 0,39% do total e rendeu, na média, 1,15% no mês e 19% no consolidado de 12 meses.
Na análise de conjuntura, o estudo cita que “após a fala do presidente do FED que se seguiu à reunião do FOMC de 31/01/2024, as bolsas americanas registraram perdas, embora no acumulado do mês tenham apresentado retornos positivos”. E os dados de geração de emprego, que surpreenderam o mercado, “reforçaram a necessidade de cautela em relação à leitura dos dados de inflação que norteiam os debates do FED”.
“Em relação à Europa, a economia segue estagnada” (...) com a Zona do Euro sendo uma das mais afetadas”, analisa. “No Brasil, observamos um deslocamento para cima da curva de juros, principalmente por consequência da mudança de perspectiva em relação à possibilidade de corte de juros nos Estados Unidos”.Para ver o estudo completo, clique aqui