Emissões de COEs alcançam R$ 10,9 bilhões em 2018

O COE (Certificado de Operações Estruturadas) completou cinco anos no mercado brasileiro em janeiro de 2019 com estoque de R$ 17 bilhões, segundo dados da B3. Ao longo de 2018, as emissões chegaram a R$ 10,9 bilhões. No ano passado, o certificado foi emitido por 15 bancos e também foi distribuído por 21 corretoras. Dos investidores, 91% são pessoas físicas e 8% são pessoas jurídicas. Uma parcela menor, de 0,6% fica com os investidores institucionais.

“Com a queda nas taxas de juros, naturalmente os investidores passam a avaliar novas alternativas de investimento além da renda fixa, buscando rentabilidades diferenciadas. Pela flexibilidade de prazos, índices e condições, o COE se encaixa bem nesta demanda” avalia Fábio Zenaro, diretor de Produtos de Balcão, Commodities e Novos Negócios da B3, em nota. Vale lembrar que a quase totalidade dos COEs emitidos no Brasil possuem valor nominal protegido, popularmente conhecido como Capital Garantido.

Em 2014, a maior parte das emissões foram com tickets a partir de R$ 50 mil. Ao longo dos anos, este valor mínimo vem caindo e, em 2018, a maioria dos COEs foram emitidos com tickets mínimos de R$ 5 mil. Os prazos também foram se alongando a medida em que o produto foi ganhando maturidade. Em 2018, 28% das emissões foram de prazo superior a 3 anos e apenas 7% tiveram prazo menor do que 1 ano. Em 2014, ano de criação do COE, 57% das emissões eram de até 1 ano.


Cadastre-se e receba gratuitamente newsletter do site Investidor Institucional, com síntese das nossas notícias diárias. Preencha os dados abaixo e nos envie, inserindo a seguir o email ii@investidorinstitucional.com.br na sua lista de contatos para não sermos barrados como spam.
Li e concordo com termos e condições de uso