Previdência aberta cresce 40,4% e soma R$ 55,5 bilhões em 2019

Impulsionadas pelas discussões em torno da reforma da Previdência, a captação líquida no segmento da previdência aberta totalizou R$ 55,5 bilhões em 2019, o que representa uma expansão de 40,4% na comparação com o ano anterior, segundo dados da Federação Nacional de Previdência Privada e Vida (FenaPrevi).

De acordo com os dados da Federação, as reservas acumuladas pelos participantes do sistema chegaram a R$ 946,8 bilhões. A indústria fechou 2019 com 13,5 milhões de participantes, sendo 10,2 milhões inscritos em planos individuais e 3,2 milhões em planos coletivos. Em 2018, eram 13,1 milhões. O balanço da FenaPrevi aponta ainda que 88,1% dos prêmios e contribuições foram direcionados para planos individuais. Os planos coletivos absorveram 10,4% dos aportes e 1,5% dos recursos foram direcionados para planos para menores.

Os planos VGBL fecharam 2019 respondendo por 90,8% dos novos depósitos. Os planos PGBL responderam por 8,5% das contribuições registradas no ano. E 0,7% dos novos depósitos foram direcionados para os planos tradicionais, não mais comercializados pelas seguradoras e entidades de previdência complementar aberta.

A queda dos juros continuou mudando a configuração da alocação de recursos dos planos de previdência em 2019. Em busca de melhor remuneração, os participantes seguem se deslocando para fundos multimercado, que fecharam o ano respondendo por 13% das aplicações. O índice era de 9,8%, em 2018, e de 7,3%, em 2017.

"Um fator importante para o crescimento de nossas reservas foi o aumento das opções no portifólio do mercado de previdência. Com a queda da taxa de juros, ampliamos a oferta de fundos multimercado, o que foi decisivo para fortalecer a atratividade dos planos de previdência”, afirma Jorge Nasser, presidente da FenaPrevi, em nota.


Fundos de Pensão