Mainnav

BNY Mellon separa áreas de administração e custódia

O BNY Mellon, maior player independente no mercado de custódia brasileiro, com R$ 318 bilhões sob custódia até abril, acaba de inaugurar a primeira etapa do projeto que irá “desplugar” os serviços de administração daqueles de custódia. Até a primeira quinzena de junho, a instituição só oferecia custódia para os fundos que ela própria administrava, mas desde o último dia 21 esse serviço passou a ser oferecido por meio de outro administrador, a XP. “O projeto começou com dois fundos da XP, em volume pequeno ainda, mas irá crescer gradualmente

Peterson Paz é o novo head de operações do BNY Mellon Brasil

Peterson Paz, head de operações do BNY Mellon no Brasil
Peterson Paz, head de operações do BNY Mellon no Brasil

O BNY Mellon anunciou nesta segunda-feira a nomeação de Peterson Paz como novo head de operações da instituição no Brasil, em substituição a Carlos Saraiva que ocupava a função até agora. Apesar da nomeação de Paz, Saraiva continuará na empresa até o final do ano fazendo junto com o novo head um processo de transição para evitar qualquer risco à operação. “Essa é a área mais sensível desse negócio, a transição está sendo feita de uma forma muito cuidadosa”, diz Paz.
Dos 500 profissionais que o BNY Mellon emprega hoje no Brasil, cerca de

Apex Group compra BRL Trust, sua segunda aquisição no Brasil

Peter Hughes, CEO do Apex Group
Peter Hughes, CEO do Apex Group

A Apex Group, empresa com sede nas Bermudas, anunciou nesta quinta-feira (03/06) a aquisição da BRL Trust, o seu segundo negócio na área de serviços fiduciários no Brasil. No final de outubro do ano passado o grupo bermudense já havia adquirido a área de administração e custódia de fundos alternativos do banco Modal.
Segundo a Apex, a nova aquisição acrescenta R$ 209 bilhões em ativos administrados e R$ 166,7 bilhões em ativos sob custódia, em 570 fundos de investimento de uma ampla gama de clientes, que vai de institucionais globais e

Inovação para crescer Investimentos em tecnologia têm sido fundamental para atender às novas demandas do mercado, cada vez mais voltado às alocações em risco

Paulino: questões tributárias que são cruciais para os estrangeiros
Paulino: questões tributárias que são cruciais para os estrangeiros

Edição 337

A disputa pelas principais posições no mercado de custódia não trouxe alterações significativas no pódio no período de abril de 2020 a abril deste ano, mas a pandemia e a captura de novas posições refletem transformações ditadas pelas exigências do ambiente digital e das movimentações de ativos feitas pelos investidores globais e domésticos. Passou a ser vital contar com mais inovação, agilidade e expertise para dar conta do fluxo e das demandas específicas dos clientes sem perder a chance de aumentar a re

Fundações querem customização Fundos de pensão reclamam de falta de conhecimentos específicos por parte de prestadores de serviços sobre a legislação do setor

“Sentimos falta de relatórios customizados de acordo com as necessidades específicas das fundações”, diz Flávia Nazaré, da Prevcom
“Sentimos falta de relatórios customizados de acordo com as necessidades específicas das fundações”, diz Flávia Nazaré, da Prevcom

Edição 337

Considerados essenciais para aumentar a transparência e a segurança das operações que envolvem os ativos dos fundos de pensão, os serviços de custódia, embutidos ou não nos pacotes de administração fiduciária e controladoria, passam por escrutínios cada vez mais rigorosos entre esses investidores. Na Vivest, a custódia, que já foi do Citi, está atualmente centralizada no Bradesco e tem sua avaliação feita periodicamente por meio de um método que atribui notas à qualidade dos serviços prestados. “Além da re

Novos prestadores buscam espaço BNY Mellon lidera o ranking dos independentes, mas novos prestadores começam a surgir e podem ameaçar o domínio de décadas

Para José Alexandre de Freitas, da Oliveira Trust, mudanças radicais no mercado de recebíveis tem obrigado empresas de custódia a investir em tecnologia
Para José Alexandre de Freitas, da Oliveira Trust, mudanças radicais no mercado de recebíveis tem obrigado empresas de custódia a investir em tecnologia

Edição 337

Na liderança dos custodiantes independentes no Brasil, o BNY Mellon usou a tecnologia para garantir a capacidade de adaptação, manter o fluxo de informações e suportar um crescimento significativo a despeito da pandemia e do trabalho remoto. “Felizmente temos a tecnologia ao nosso favor e tivemos grandes ganhos sem precisar aumentar o time, com alta de 32% no volume de ativos sob custódia no período de maio de 2020 a maio de 2021”, diz o head de operações do banco no Brasil, Peterson Paz. Os ativos sob cus

O avanço da globalização Com a maior exposição das carteiras de investimentos à ativos globais aumenta a demanda por custódia de players internacionais

Edição 337

A ampliação dos investimentos em renda variável global, por conta da queda da taxa de juros, têm contribuído para elevar os volumes da custódia internacional. “Houve um crescimento de 84,5% no nosso volume de custódia para investimentos no exterior, uma parte sendo feita por clientes não residentes que saíram do mercado de títulos públicos e voltam agora”, diz o superintendente executivo de operações internacionais do Bradesco, Francisco Borges Neto.
Os programas de ADRs ( American Depositary Receipts

Soares é contratado como CEO da Modal Administração Fiduciária

Ricardo Lima Soares, CEO da Modal Administração Fiduciária
Ricardo Lima Soares, CEO da Modal Administração Fiduciária

A Modal Administração Fiduciária (MAF), cuja aquisição pelo Apex Group foi anunciada em novembro do ano passado, contratou Ricardo Lima Soares como seu novo CEO. O executivo tem uma longa trajetória nesse segmento, tendo atuado como diretor do Securities Service do Itaú por 11 anos, até 2016, e anteriormente na área de operações e TI do JP Morgan Chase por 28 anos.
"A união da MAF ao Apex Group traz para o mercado local os benefícios de um provedor independente global, com fundos, empresas e soluções bancárias para atender às necessidad

A Prevcom-MG recontrata serviços de custódia da Caixa

A Prevcom-MG, fundo de pensão dos servidores do Estado de Minas Gerais, recontratou os serviços de custódia e controladoria da Caixa. Segundo o presidente da entidade, Armando Quintão Bello, é o segundo mandato da Caixa na área e os serviços foram contratados através de licitação na modalidade concorrência pelo menor preço.

Magliano troca o varejo pelo atacado Corretora dá adeus às pessoas físicas e aposta em administração, controladoria e custódia de fundos

Magliano Neto: começamos área de administração de fundos há 12 anos
Magliano Neto: começamos área de administração de fundos há 12 anos

A Corretora Magliano, um dos nomes mais tradicionais dos pregões brasileiros, acaba de dar um passo ousado em sua estratégia de tentar garantir seu espaço em um mercado dominado, cada vez mais, por grandes grupos. No final de julho, a Magliano deu adeus aos seus 2 mil clientes pessoas físicas, detentores de R$ 2 bilhões em ativos, que passam a ser atendidos a partir de setembro pela Guide Investimentos, e concentra suas atividade na área administração, controladoria e custódia de fundos, frente de negócios na qual vem obtendo bom desempenho.