Estrategista da JP Morgan Asset diz que estrangeiros devem aguardar medidas concretas para voltar ao mercado

Os investidores estrangeiros devem aguardar o início efetivo do governo Bolsonaro, e suas potenciais primeiras medidas para endereçar a questão fiscal do país, para então começar um tímido movimento de retorno em busca de oportunidades no mercado brasileiro, prevê a estrategista de mercado global da JP Morgan Asset Management, Gabriela Santos, que fica baseada em Nova York. Segundo ela, a perspectiva de aprovação das reformas de ajuste fiscal, notadamente a da previdência, é um ponto crítico para que o país consiga voltar a atrair de maneira relevante capital estrangeiro de longo prazo.

“A visão externa está um pouco mais otimista após a eleição, mas talvez não tão otimista quanto a visão local”, afirmou Gabriela, durante o seminário ‘O desafio da gestão de investimentos na previdência complementar fechada”, promovido pela Abrapp nesta terça-feira, 6 de novembro. “O novo governo vai precisar mostrar um pouco mais de entrega para realmente conseguir atrair um pouco mais de confiança do investidor externo, especialmente nesse contexto do cenário global mais difícil”.

Além das incertezas quanto ao processo eleitoral no Brasil, a especialista lembrou que a visão dos estrangeiros em relação aos emergentes se deteriorou de maneira acentuada ao longo de 2018, com um cenário menos benigno para emergentes com as disputas comerciais entre Estados Unidos e China e a desacelaração no crescimento do gigante asiático.


Cadastre-se e receba gratuitamente newsletter do site Investidor Institucional, com síntese das nossas notícias diárias. Preencha os dados abaixo e nos envie, inserindo a seguir o email ii@investidorinstitucional.com.br na sua lista de contatos para não sermos barrados como spam.
Li e concordo com termos e condições de uso