Segundo Anbima, 34% dos investimentos deste ano vieram do mercado de capitais

Exatos 34% dos investimentos realizados pelas empresas no Brasil entre janeiro e setembro deste ano foram levantados junto ao mercado de capitais. Segundo a Anbima (Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais), de um investimento total de R$ 833,8 bilhões realizados no período, R$ 282,0 bilhões foram emitidos via instrumentos do mercado de capitais.

As informações da Anbima se baseiam no relatório do Produto Interno Bruto (PIB) do terceiro trimestre do ano,  divulgado na terça-feira (03/12) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Em comparação com o mesmo período do ano passado houve um avanço de 9 pontos base e em relação a 2017 o crescimento é de 15 pontos base. O resultado só é ligeiramente pior que o mesmo período de 2010, quando o mercado de capitais forneceu 34,9% dos investimentos totais das empresas, mas deve ser lembrado que naquele ano o PIB cresceu 7,5%.

Debêntures - As debêntures são destaque no período, representando 15% dos investimentos,  o mesmo patamar registrado no ano anterior. Já as ações têm participação menor, somando 7% entre as Ofertas Públicas Iniciais (IPOs) e as chamadas emissões subsequentes, ou follow-ons.

“Ainda há um longo caminho a ser percorrido. A construção civil, por exemplo, está retomando suas atividades de forma mais sustentada, o que vai refletir em breve nos ativos com lastro neste segmento. O ideal é que a taxa de investimento cresça em maior ritmo nos próximos anos. Com esse novo mix de política econômica, certamente o mercado de capitais acompanhará a trajetória”, diz José Eduardo Laloni, vice-presidente da Anbima.

 


Cadastre-se e receba gratuitamente newsletter do site Investidor Institucional, com síntese das nossas notícias diárias. Preencha os dados abaixo e nos envie, inserindo a seguir o email ii@investidorinstitucional.com.br na sua lista de contatos para não sermos barrados como spam.
Li e concordo com termos e condições de uso