Anbima reestrutura seu conselho de ética

A Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais (Anbima) está reformando seu conselho de ética, com vistas a dar maior grau de autonomia ao colegiado. A proposta da associação prevê que o grupo passará a ter a palavra final nos pedidos de filiação e adesão. Atualmente, essas e outras decisões ficam com a diretoria. Em relação à composição, hoje o conselho de ética é formado por sete membros de representantes de empresas associadas. A ideia é que ele tenha nove componentes na nova configuração, sendo quatro de instituições não associadas.

Além disso, o mandato passará de dois para quatro anos, com apenas uma reeleição. Entretanto, a cada dois anos, três membros (que correspondem a 1/3 do conselho) devem ser renovados. Os associados tem entre 21 de fevereiro a 5 de março para manifestar seu posicionamento a respeito da proposta.


Fundos de Pensão