Mainnav

AAIs crescem e reivindicam mais independ√™ncia Agentes aut√īnomos pedem √† CVM permiss√£o de fazer aconselhamento financeiro

Francisco Amarante, superintendente da Abaai
Francisco Amarante, superintendente da Abaai

O crescimento do mercado de Agentes Aut√īnomos de Investimento (AAI), escrit√≥rios que atuam como distribuidores de produtos de investimentos ligados a plataformas eletr√īnicas, tem sido uma das grandes novidades do mercado. Muitas gestoras de recursos independentes, que anteriormente teriam que fazer acordos com grandes investidores para montar seus primeiros fundos, hoje conseguem se sustentar gra√ßas √†s plataformas cujos bra√ßos operacionais s√£o os agentes aut√īnomos. O crescimento, no entanto, traz tamb√©m alguns questionamentos e defini√ß√Ķes. N

Menos crescimento, incerteza A tendência global é de menos crescimento, incluindo dos Estados Unidos e China, mas o fim da alta dos juros americanos pode ajudar os emergentes

Marcelo Guterman
Marcelo Guterman

Com o mundo desenvolvido tendendo a crescer menos, principalmente Estados Unidos e China, as economias locais vivem uma fase de incerteza. A Western, a exemplo do que outras casas de gest√£o j√° est√£o fazendo, tem reduzido sua previs√£o de crescimento do PIB brasileiro. Passou de 2,5% no ano passado para 1,9%, em mar√ßo √ļltimo, com vi√©s de baixa
Para o respons√°vel pela √°rea de investimento da asset, Marcelo Guterman, isso pode fazer o Banco Central reduzir a taxa b√°sica de juros nas pr√≥ximas reuni√Ķes do Copom. Veja a entrevista dele √† revis

Li√ß√Ķes para a Nova Previd√™ncia Com regras bem definidas, atua√ß√£o preventiva e supervis√£o rigorosa, a Previd√™ncia Complementar poder√° crescer com a reforma

F√°bio Coelho
F√°bio Coelho

O marco regulat√≥rio da previd√™ncia complementar pode contribuir na implanta√ß√£o das novas regras da previd√™ncia capitalizada, a serem discutidas e estabelecidas ap√≥s a aprova√ß√£o da PEC da Reforma, neste ano. De acordo com F√°bio Henrique de Sousa Coelho, diretor superintendente da Superintend√™ncia Nacional de Previd√™ncia Complementar (Previc), o aperfei√ßoamento cont√≠nuo das regras e a atua√ß√£o e desempenho da autarquia na sa√ļde do setor podem ser considerados benchmarking a ser considerado na regula√ß√£o da nova Previd√™ncia.
Ele ressalta, em

Rolim acha que os RPPS devem seguir legislação dos fundos de pensão

Em entrevista à revista Investidor Institucional o secretário de Previdência, Leonardo Rolim, disse que as normas que regem os investimentos dos fundos de pensão e dos RPPS tem caminhado numa mesma direção e que, não imediatamente mas num segundo momento, os regimes próprios poderiam vir a ser orientados pela Resolução 4.661. A Resolução 4.661 é o normativo de investimentos dos fundos de pensão.

Rolim também disse que a secretaria estuda ampliar as possibilidades de investimento dos RPPS, incluindo alternativas de risco reduzido e ma

Aproximando os regimes Secretário da Previdência diz que a tendência é aproximar cada vez mais a legislação dos Regimes Próprios de Previdência da Resolução 4.661

Leonardo Rolim
Leonardo Rolim

O Secret√°rio de Previd√™ncia, Leonardo Rolim, tem uma longa trajet√≥ria de atua√ß√£o na √°rea previdenci√°ria. Atuou por longos anos como consultor do or√ßamento da C√Ęmara dos Deputados, ajudando parlamentares a entender a rela√ß√£o nem sempre muito clara entre o d√©ficit p√ļblico e o emaranhado de siglas, regimes e valores, em geral na casa de centenas de bilh√Ķes de reais, que giram em torno da √°rea da previd√™ncia.
Foi secretário de políticas de previdência social entre 2011 e 2014, envolvendo-se diretamente com a formulação de políticas para ess

As reformas são essenciais Rogério Tatulli, um dos principais líderes do GPFP, elogia a ideia de capitalização parcial da previdência e critica a de fundir Previc com Susep

Rogério Tatulli
Rogério Tatulli

A reforma do sistema previdenci√°rio, mote principal do novo governo federal na esfera econ√īmica, tem tudo para dar ainda mais g√°s ao sistema fechado de previd√™ncia complementar, que j√° vive um momento de euforia, com fundos institu√≠dos e setoriais pipocando pelos quatro pontos do pa√≠s. A leitura √© de Rog√©rio Tatulli, diretor-superintendente da Previ-Ericsson e um dos principais l√≠deres do Grupo de Profissionais de Fundos de Pens√£o (GPFP), que soma 18 anos de estrada e 36 funda√ß√Ķes associadas. O maior m√©rito do projeto, para o executivo, √© a

Fatiar a reforma seria melhor O custo de transição do atual modelo de previdência para um novo, de capitalização, deveria incluir inicialmente apenas os mais jovens

Thomas Tosta de S√°
Thomas Tosta de S√°

Para o economista Thomas Tosta de S√°, que apresentou ao futuro superministro da economia, Paulo Guedes, uma proposta de uma reforma previdenci√°ria que contemplasse o sistema de capitaliza√ß√£o apenas para os jovens que est√£o entrando no mercado de trabalho agora, fatiar a reforma √© o melhor caminho. Ele conta que a proposta ser√° levada com n√ļmeros mais precisos √† Guedes partir de 25 de novembro, ap√≥s ser apresentada por H√©lio Zylberstajn, professor da FEA/USP e coordenador do projeto, na Fenaprevi [Federa√ß√£o Nacional de Previd√™ncia Privada e V

‚ÄúTrump est√° coberto de raz√£o‚ÄĚ Para o consultor de com√©rcio exterior, as cr√≠ticas do presidente dos Estados Unidos ao ambiente de neg√≥cios no Brasil s√£o 100% procedentes

Fonseca: N√£o tenho d√ļvidas de que algu√©m bem gra√ļdo do Departamento de Com√©rcio colocou esse ‚Äúdiscurso‚ÄĚ nas m√£os do presidente Trump
Fonseca: N√£o tenho d√ļvidas de que algu√©m bem gra√ļdo do Departamento de Com√©rcio colocou esse ‚Äúdiscurso‚ÄĚ nas m√£os do presidente Trump

Depois de endurecer o jogo comercial com China e Uni√£o Europeia, os Estados Unidos est√£o de olho no Brasil. Na semana que antecedeu o primeiro turno das elei√ß√Ķes brasileiras, o presidente norte-americano, Donald Trump, soltou o verbo sobre a maior economia da Am√©rica Latina. ‚ÄúSe voc√™ perguntar a algumas empresas, eles dizem que o Brasil est√° entre os mais duros do mundo, talvez [seja] o mais duro. E n√≥s n√£o os chamamos e dizemos: ‚ÄėEi, voc√™s est√£o tratando nossas empresas injustamente, tratando nosso pa√≠s injustamente‚Äô‚ÄĚ, disse ele em 1¬ļ de ou

Curte muito, mas entende pouco As redes sociais s√£o um fen√īmeno, gerando milhares de seguidores aos presidenci√°veis, mais √© discut√≠vel se eles entendem as mensagens

Marcos Facó
Marcos Facó

Para o professor e diretor da √°rea de comunica√ß√£o e marketing da Funda√ß√£o Get√ļlio Vargas, Marcos Fac√≥, o poder das redes sociais como principal cabo eleitoral nas pr√≥ximas elei√ß√Ķes presidenciais √© um mito. Segundo ele, a baixa escolaridade de boa parte da popula√ß√£o brasileira, que a impede de entender em sua plenitude as mensagens dos candidatos nas redes sociais, √© um limitador muito objetivo. ‚ÄúO poder de penetra√ß√£o da televis√£o √© muito maior do que o das redes sociais, e ele √© muito mais facilmente digerido por essa popula√ß√£o, vamos dizer

O Algoz da Petrobras Advogado que derrotou a Petrobr√°s na corte de Nova York, arrancando dela US$ 2,9 bilh√Ķes para investidores, fala sobre como foi o processo

Almeida: A empresa perdeu valor de mercado em virtude da m√° governan√ßa corporativa e da n√£o observ√Ęncia de regras m√≠nimas de √©tica e de transpar√™ncia
Almeida: A empresa perdeu valor de mercado em virtude da m√° governan√ßa corporativa e da n√£o observ√Ęncia de regras m√≠nimas de √©tica e de transpar√™ncia

O advogado Andr√© de Almeida, do escrit√≥rio Almeida Advogados, pratica o seu of√≠cio h√° cerca de 20 anos nos Estados Unidos. No ano de 2014, quando soube dos termos da dela√ß√£o premiada que estava sendo feita pelos ex-diretores de Abastecimento e de Servi√ßos da Petrobras, respectivamente Paulo Roberto Costa e Renato Duque, mostrando as v√≠sceras dos processos de tomada de decis√£o na estatal brasileira, pagando propinas a muita gente e forjando n√ļmeros aos investidores, ele n√£o teve d√ļvidas. Tinha em m√£os informa√ß√Ķes e elementos suficientes para